Economia | 27-01-2013 02:35

Associações empresariais deviam integrar Conselho Regulador de Energia

As associações empresariais, “nomeadamente as de cúpula”, deviam ter assento no Conselho Regulador de Energia, defendeu, na passada semana em Torres Novas, Domingos Chambel, vice-presidente da NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém. O responsável aproveitou a presença do Secretário de Estado da Energia, Artur Trindade, que apadrinhava uma cerimónia de entrega de certificados a vinte e uma empresas do distrito de Santarém pela sua participação no projecto Auditec, para dizer que “as associações empresariais gostariam de ter uma palavra a dizer”, dentro do órgão regulador, “para que pudessem contribuir com o seu saber e experiência para que, efectivamente, as taxas fossem mais justas”.Em resposta, Artur Trindade explicou que “o Regulador não se esgota nos Conselhos” e faz consultas, pedindo opinião nos momentos em que têm que decidir e cabe à NERSANT apresentar sugestões que entender. “Enquanto lá estive, recebi algumas associações empresariais e respondi a cartas e pedidos de informações pedidas por essas entidades”, disse, acrescentando que o Conselho Regulador de Energia conta, pelo menos, com um representante do sector empresarial, Jaime Braga da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) que veicula essas preocupações. O Governante explicou que a única coisa que o preocupa em relação à sugestão dada por Domingos Chambel advém das associações empresariais “muito grandes”, terem também como associados representantes do sector da Energia, ou seja, com interesses próprios.* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo