Economia | 09-10-2013 11:50

José Eduardo Carvalho critica medidas do Governo para resolver a crise

O presidente da Associação Industrial Portuguesa (AIP), José Eduardo Carvalho, foi crítico em relação às medidas do Governo para resolver os problemas da crise, no discurso de abertura da Convenção Empresarial que decorre durante todo o dia no Centro de Congressos de Lisboa. Tendo na plateia o primeiro-ministro, José Eduardo Carvalho enumerou as principais falhas. "Não voltámos ao crescimento no ritmo que era desejável. Não houve retoma da confiança e do investimento. O ajustamento macroeconómico tarda a concretizar-se, excepto na correcção do deficit externo. E o actual modelo de desvalorização interna e os mecanismos que dispomos não estão a conseguir provocar os efeitos e os choques de competitividade que a desvalorização cambial e a inflação tiveram na crise de 1983”. José Eduardo Carvalho voltou a insistir também na necessidade de revisão da Constituição como um dos elementos essenciais para ajudar a resolução dos problemas que o país atravessa."Será que os sobreviventes desta crise não têm legitimidade para exigir aos agentes políticos que defendem a economia de mercado e a continuação de Portugal no Euro, para reverem a Constituição?", perguntou. E acrescentou: "Alguém percebe que para reduzir custos nesta fase do ciclo económico, a opção seja despedir colaboradores do que ter a possibilidade de celebrar um acordo alargado e legal para reduzir custos salariais?"

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo