Economia | 05-11-2015 11:10

Câmara de Azambuja aprova orçamento com críticas da oposição

A Câmara Municipal de Azambuja aprovou o seu orçamento para 2016 com um valor de 13,7 milhões de euros, sob fortes críticas da oposição. O documento foi aprovado com os votos favoráveis (3) do PS, juntamente com o do vereador independente Herculano Martins, registando-se ainda três abstenções, a do vereador David Mendes (CDU) e dos dois representantes da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra, liderada pelo PSD. Na mesma reunião do executivo foram também aprovadas as grandes opções do plano para o triénio 2016/2019.Luís de Sousa, presidente da autarquia, mostra-se cauteloso na apreciação ao documento, mas reconhece que não pode ir mais além. “É um orçamento realista e o que é possível apresentar, dadas as muitas restrições que temos. Ainda assim, saliento que foi possível fazer um aumento de 400 mil euros em relação ao ano passado”, explicou. Já David Mendes não deixou de fazer notar as dificuldades para realizar este documento. “É um orçamento de contenção com o qual, por princípio, concordo, embora reconheça que gostava de mais”, salientou.As críticas vieram quase todas do lado da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra. Maria João Canilho foi a porta-voz da declaração de voto que justificou a abstenção da força política. “ O senhor presidente na sua apresentação chama-lhe um “orçamento realista”, para nós é o orçamento espelho, reflexo, da falta de políticas integradas. É um conjunto de acções desgarradas, sem um suporte, um sustentáculo, uma visão estratégica de fundo. É realista sim, na medida em que realmente demonstra a falta de ideias e o que a gestão PS pretende para o nosso concelho...”, pode ler-se.Do total dos 13,7 milhões de euros orçamentados, a maior fatia vai para os gastos com o pessoal, que se cifra nos 5,8 milhões de euros. De seguida, o ambiente e saneamento, com cerca de 1 milhão de euros, e a intervenção social, com cerca de 820 mil euros, são os dois capítulos que maior investimento vão ter por parte da autarquia.No documento estão contempladas algumas das sugestões feitas pelas freguesias do concelho, nomeadamente a construção de casas de banho públicas em Vila Nova da Rainha, edificação de um coreto em Alcoentre, recuperação de dois parques infantis em Aveiras de Baixo, substituição do telhado do mercado diário em Aveiras de Cima, a construção de uma ciclovia em Azambuja e a recuperação do caminho para a casa mortuária de Vila Nova de São Pedro.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo