Economia | 23-02-2016 00:18

Torres Novas e Benavente são os concelhos mais dinâmicos do Ribatejo

Nas exportações do Médio Tejo destacam-se em termos de volume os concelhos de Abrantes (201 milhões de euros), Torres Novas (153 milhões) e Constância (142,7 milhões) e em termos de crescimento, os concelhos de Vila Nova da Barquinha (+71%), Tomar e Torres Novas (quase + 30%). Relativamente à Lezíria do Tejo, destacam-se em termos de volume os concelhos de Benavente (201 milhões de euros), Santarém (147 milhões) e Rio Maior (quase 100 milhões) e em termos de evolução os concelhos de Benavente (+39,1%), Almeirim (+28,6%) e Golegã (+20,9%).No que diz respeito ao número de empresas destacam-se os concelhos da Lezíria do Tejo, nomeadamente Alpiarça (+11,55%), Almeirim (+7,65%), Golegã (+5,93%), Cartaxo (+1,38%) e Rio Maior (+0,53%). No Médio Tejo, o único concelho com evolução positiva foi o Entroncamento (+0,17%).Relativamente ao volume de negócios, no Médio Tejo apenas Torres Novas e Alcanena apresentam crescimentos de 4,46% e 5,12% respectivamente, enquanto que na Lezíria se destaca a evolução positiva verificada nos concelhos de Benavente (+20,45%), Salvaterra de Magos (+12,96%), Chamusca (+9,76%), Golegã (+7,56%) e Alpiarça (+4,21%).Já no que diz respeito ao VAB (valor acrescentado bruto), indicador que resulta da diferença entre o valor da produção e o valor do consumo intermédio, originando excedentes, no Médio Tejo apenas os concelhos de Alcanena (+2,77%), Vila Nova da Barquinha (+2,64%) e Torres Novas (+1,24%) apresentaram uma evolução positiva. Na Lezíria, um conjunto interessante de concelhos verificaram crescimento neste indicador, com especial destaque para Alpiarça (+21,75%), Benavente (+11,8%), Rio Maior (+7,41%) e Almeirim (+6,36%).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo