Economia | 11-10-2018 14:21

Almeirim vai entregar processo para certificação da "caralhota"

Almeirim vai entregar processo para certificação da "caralhota"
O presidente da Câmara de Almeirim, Pedro Ribeiro

Além do pão, Almeirim tem a correr os processos para certificação de outros produtos do concelho, como a Sopa da Pedra e o melão.

A Câmara de Almeirim vai entregar na quinta-feira ao Ministério da Agricultura o caderno de especificações para a certificação da “caralhota”, pequeno pão cozido em forno de lenha seguindo “métodos de fabrico ancestrais”.

A entrega vai acontecer durante a cerimónia de inauguração da requalificação das antigas instalações do Instituto do Vinho e da Vinha (IVV) em Almeirim, que acolhem, desde 2014, a sede da Comissão Vitivinícola Regional (CVR) do Tejo.

Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal de Almeirim (distrito de Santarém), disse que o arranjo do edifício para onde se mudou a sede da CVR Tejo em 2014 permitiu dar outras condições e ampliar as instalações, onde funcionam igualmente a Rota dos Vinhos do Tejo e a Confraria Enófila de Nossa Senhora do Tejo, permitindo a criação de um espaço para venda de vinhos e uma zona multifuncional.

O autarca afirmou que vai aproveitar a ocasião para entregar o caderno de especificações para a certificação da “caralhota” ao secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, para submissão à aprovação da União Europeia.

Além do pão, Almeirim tem a correr os processos para certificação de outros produtos do concelho, como a Sopa da Pedra e o melão.

Pedro Ribeiro afirmou que a requalificação do edifício que acolheu no passado os escritórios e as oficinas do IVV permite concentrar no mesmo espaço várias entidades relacionadas com um sector que é fundamental para o concelho.

Lembrando que é em Almeirim que se situa a maior adega cooperativa do país e que este é um dos concelhos com maior produção de vinho, o autarca considerou que faz todo o sentido juntar num mesmo espaço as várias entidades com um papel na certificação e promoção deste produto.

Pedro Ribeiro afirmou que, entre a aquisição do edifício e a intervenção ali realizada, o município investiu cerca de 270 mil euros, com parte das obras a terem beneficiado de fundos comunitários.

Para o edifício que albergou a antiga adega do IVV, situado do outro lado da rua, e que o município adquiriu em 2017, está em curso o projecto de reabilitação que prevê a criação de uma sala multiúsos dotada de um auditório com 550 lugares.

Além de eventos, como feiras, o espaço será dedicado à promoção dos produtos do concelho.

O autarca disse ser sua intenção lançar o concurso este ano para que a obra se possa iniciar no segundo semestre de 2019.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo