Economia | 13-04-2019 18:00

Se a segurança deve ser tratada por quem sabe a Seguraxira é uma solução

Se a segurança deve ser tratada por quem sabe a Seguraxira é uma solução
SEGURANÇA

Empresa de Vila Franca de Xira especializada em Serviços de Segurança Industrial faz 31 anos.

A Seguraxira - Serviços de Segurança Industrial, completa este ano 31 anos de actividade ao serviço dos clientes nas mais variadas vertentes da área da segurança. O balanço é considerado positivo uma vez que os objectivos programados ao longo dos anos foram sempre alcançados.

A empresa teve um crescimento correspondente ao calculado e aumentou permanentemente a sua qualificação, dando provas de que é o parceiro certo para qualquer projecto de segurança.
Para além de propostas para instalações de sistemas novos de projectos de segurança e medidas de autoprotecção; detecção automática de incêndios; extinção automática por água, água nebulizada, espuma e CO2; desenfumagem e cortinas de acantonamento; portas corta fogo; extintores portáteis de Incêndio; sinalização de segurança e rodoviária e plantas de emergência, a Seguraxira efectua manutenções preventivas de todos os sistemas que instala.

Para a Seguraxira, as manutenções preventivas dos sistemas de incêndios promovem a eficácia dos mesmos e numa eventual situação de incêndio garantem a extinção do fogo e ainda a praticabilidade das vias de evacuação, pois permitem a visibilidade nos locais de deflagração, ao longo dos percursos. Evitam também o perigo de intoxicação dos ocupantes ou das equipas de intervenção, bem como a acumulação de cargas térmicas elevadas, protegendo as pessoas, os equipamentos e a própria estrutura do edifício.

“Para serem fiáveis, as manutenções dos sistemas de protecção passiva contra incêndio devem ser realizadas por empresas de segurança especializadas, como é o caso da Seguraxira, com técnicos qualificados e registadas na Autoridade Nacional de Protecção Civil ao abrigo da Portaria nº 773/2009, de 21 de Julho, em conformidade com as instruções do fabricante e respeitar procedimentos de manutenção periódica, num intervalo regular, não superior a um ano,” afirma Fernando Santos, Técnico responsável acreditado pela ANPC (Autoridade Nacional de Protecção Civil), sublinhando que a empresa responde ao consignado no Regulamento Técnico de SCIE (Portaria n.º 1532/2008, de 29 de Dezembro).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1398
    10-04-2019
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1398
    10-04-2019
    Capa Vale Tejo