Empresa da Semana | 07-02-2008 10:52

Profissionalismo dos médicos dá credibilidade ao Centro de Imagens Médicas de Santarém

O IMES Centro de Imagens Médicas de Santarém fica na rua Ginestal Machado, junto ao Terminal Rodoviário e Registo Civil da cidade de Santarém. É dirigido tecnicamente pelo doutor João Vieira, médico-radiologista e tem ao seu serviço três médicos radiologistas, uma técnica de radiologia e três administrativas. “Embora seja um consultório convencionado, tem a referência dos dois médicos existentes e bem conhecidos no mercado. Muitas pessoas vêm à clínica pela relação de proximidade e bom-nome dos médicos” explica o Director Técnico.A funcionar de segunda a sexta, das 9h00 às 19h00, o IMES coloca ao dispor dos seus utentes as especialidades de mamografia, ecografia, osteodensitometria e dopplers. Tem acordos com o Sistema Nacional de Saúde (SNS), ADSE, PT, SAMS e Advance Care. Para além do rigor e experiência oriundos do profissionalismo da equipa existente, de salientar a eficácia dos serviços prestados aos utentes, demorando um máximo de três dias a marcação de uma consulta, com a vantagem de que o utente tem acesso de imediato aos exames realizados, acelerando todo o processo dependente dos mesmos.Com as portas abertas desde 1996, João Vieira explica que o IMES surge de um projecto pensado em conjunto com colegas com quem formava equipa no Hospital de Santarém no início da década de noventa. Começou por funcionar apenas com ecografia. Actualmente “é um consultório mais vocacionado para a saúde da mulher”, diz o médico. Com 20 anos de experiência na especialidade, João Vieira, natural da zona Oeste, mais propriamente se São Mamede, Batalha, admite que a engenharia e arquitectura terão passado pelas suas aspirações profissionais enquanto jovem, embora a medicina se tenha mostrado uma boa alternativa. Iniciou a sua actividade como clínico geral, no Hospital de Arganil, onde a carência de um médico radiologista lhe incutiu a curiosidade pela interpretação das imagens, levando-o a uma especialização naquela área.Sócio de mais dois centros médicos, o Centro Radiologia e Diagnóstico de Alcanena e uma clínica de radiologia no Cartaxo, João Vieira não pensa investir em mais nenhuma cidade. “A alta tecnologia exige um aproveitamento dos equipamentos quase 24 horas por dia para serem rentáveis e substituídos em tempo útil (uma média de durabilidade de 5 anos) até que saia algo mais evoluído, explica. Mas confessa que a mudança de instalações, em Santarém, está no horizonte dado que as instalações actuais se terem vindo a notar insuficientes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo