Entrevista | 27-05-2017 19:08

Guardador de vacas é o campino homenageado na Feira de Maio em Azambuja

Guardador de vacas é o campino homenageado na Feira de Maio em Azambuja

Júlio Cordeiro Guilherme trabalha há 56 anos na lezíria e foi o campino escolhido para ser homenageado este ano na Feira de Maio.

Imagine viver sem relógio e sem calendário, trabalhar praticamente 365 dias por ano e só ter vacas, bois e cavalos como companhia. É assim a vida de um dos mais antigos campinos que trabalha na lezíria e que nos recebeu na sua “segunda casa”.

Júlio Cordeiro Guilherme trabalha há 56 anos na lezíria e, aos 69 anos, foi o campino escolhido para ser homenageado na Feira de Maio, este domingo pelas 9h30, em Azambuja, depois de ter sido também já distinguido na Festa da Amizade e Sardinha Assada de Benavente, no Colete Encarnado de Vila Franca de Xira e nas Festas do Barrete Verde em Alcochete.

Nos últimos oito anos tem trabalhado de dia e de noite em Sesmaria da Santana, concelho de Benavente, e a sua única companhia são os animais que tão dedicadamente trata.

Nascido em São Vicente do Paúl, concelho de Santarém, e criado em Sobral de Porto Seixo, concelho de Benavente, Júlio é filho e genro de campinos, daí o seu gosto especial em tratar de vacas mansas e cavalos. Na maior parte da sua vida foi maioral de vacas mansas, tendo começado quando ainda era muito jovem.

Júlio conta que “gostava tanto daquilo” que chegou muitas vezes a sair da escola e sentava-me no chão a meio do caminho para fazer os trabalhos de casa para que pudesse ajudar o seu pai.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Médio Tejo