O MIRANTE | 16-11-2018 12:00

“Estamos perto de Lisboa mas suficientemente longe para manter uma boa qualidade de vida”

“Estamos perto de Lisboa mas suficientemente longe para manter uma boa qualidade de vida”
31º ANIVERSÁRIO DE O MIRANTE
Francisco Oliveira Presidente da Câmara Municipal de Coruche

Francisco Oliveira - Presidente da Câmara Municipal de Coruche

A minha terra é Coruche. Foi aqui nasci, que constitui família e onde tenho o privilégio de dar o meu contributo para o bem comum. É um grande desafio fazer da “nossa” terra, uma terra que seja atrativa e acolhedora para quem já cá reside mas também para todos aqueles que vejam em Coruche uma oportunidade para trabalhar, investir, criar as suas famílias e se fixarem neste concelho.

Nós costumamos dizer que “Coruche Inspira” e não é cliché. Temos orgulho na beleza da nossa vila, no potencial do Rio Sorraia, da nossa lezíria, da charneca e do montado de sobro. Criamos a marca “Coruche Capital Mundial da Cortiça” e um Observatório do Sobreiro e da Cortiça. Temos um enorme potencial no turismo de natureza e nas diversas atividades que podemos praticar ao ar livre e por isso investimos nos percursos pedonais, na requalificação das margens do Rio Sorraia, no Aquatlo e no Triatlo mas também na pesca desportiva.

Temos uma das maiores manchas de montado do país, um importante cluster de biodiversidade, que nos permite desde a observação de aves, à realização de percursos pedestres ou de BTT ou um passeio a cavalo, a visita a coudelarias e ganadarias ou simplesmente uma viagem de balão que nos permite desfrutar de uma paisagem magnífica. Aliás, por isso estamos a apostar no Festival Internacional de Balonismo que já vai na segunda edição e tem sido um enorme sucesso.
Temos um património cultural inigualável, uma gastronomia única, vivemos as nossas tradições e investimos na preservação dessa identidade. Por isso criamos o Museu Municipal, o Núcleo Tauromáquico, o Núcleo Rural – Centro de Artes, Ofícios e Saberes Tradicionais , a Escola Museu Salgueiro Maia e iremos investir num núcleo “Casa Tradicional” da Erra.

Os principais pilares da nossa vida são transmitidos pela família. É o que hoje, como pai, transmito ao meu filho, tal como os meus pais me transmitiram a mim. Fundamentalmente valores como a importância do trabalho para alcançar objetivos, a dedicação a tudo o que fazemos, humildade e honestidade como pilares da construção da nossa personalidade. Também tento sempre colocar-me na pele do outro.

Durante um período da minha vida, na infância e adolescência, tivemos de nos deslocar para a Azambuja Os amigos que fiz durante a minha vivência pelas terras da Azambuja foram muito importantes para a minha formação enquanto jovem e adolescente. Estive lá até aos 17 anos. Tive oportunidade de fazer bons amigos e só posso agradecer a forma como a Azambuja me acolheu a mim e aos meus pais. Felizmente, posso dizer que tenho a sorte de ter feito amigos e criado laços nos vários sítios e situações por onde passei ou estive.

A irreverência da juventude leva-nos a viver aventuras e experiências que recordamos para a vida. Costuma-se dizer que a partir dos 50 recordamos sempre com muita nostalgia a vivência da nossa juventude. A minha passagem pelo serviço militar marcou muito a minha personalidade. Cheguei a ponderar seguir a carreira militar nos paraquedistas mas mudei de ideias. Não fiz planos para ter uma carreira política e hoje “estou” presidente de câmara. Esta é também uma fase da vida muito interessante porque tenho oportunidade de servir o próximo.

Estamos perto de Lisboa mas suficientemente longe para manter uma boa qualidade de vida que se traduz na segurança que se sente neste concelho, na beleza cénica do território natural e urbano e em equipamentos que são fundamentais para as famílias, sobretudo na área da Educação. Temos duas creches municipais e uma boa rede de ensino pré-escolar e do primeiro ciclo. Hoje temos um concelho com excelentes equipamentos desportivos, investimos na requalificação das estradas e do espaço público, tornando-o mais atrativo e diminuindo distâncias.

Queremos atrair pessoas e por isso temos as infraestruturas coletivas que permitem servir essas mesmas pessoas. Naturalmente, que estamos a trabalhar para capacitar o nosso território e temos tudo o que precisamos para fazer de Coruche o motor do Ribatejo, acredito que com a criação do nosso Parque Empresarial, obra que já se iniciou, estaremos na linha da frente para sermos atrativos em matéria de investimentos.

No nosso dia-a-dia e num território como Coruche, com mais de 1114 km², há sempre situações a que a autarquia não dá resposta em tempo, ou por questões logísticas ou de recursos humanos. Por outro lado, desagrada-me a burocracia dos procedimentos de contratação pública. Os prazos nem sempre se coadunam com o tempo dos projetos.
Hoje deparamo-nos com empresas que, por não terem mão-de-obra suficiente para conseguirem executar as empreitadas, ultrapassam todos os prazos para a execução das obras e entram em incumprimento. Isto faz com que os nossos trabalhadores tenham de acompanhar de perto os trabalhos e também nós, eleitos, temos de fazer um esforço maior para exigir o cumprimento dos contratos pois temos o nosso próprio contrato social com os munícipes e um programa para cumprir.

Temos conseguido manter reduzidas as taxas de IMI e de Derrama e ainda devolver IRS a quem tem domicílio fiscal em Coruche, uma vez que aplicamos uma taxa variável de 3% devolvendo assim 2% aos coruchenses. Já ao nível do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) mantemos a taxa nos 0,34% e a Derrama entre os 0,5% para o volume de negócios até 150 mil euros e 1% para os negócios superiores a 150 mil euros. Além disto, continuamos pelo quarto ano consecutivo a aplicar o IMI Familiar.

Coruche é um concelho seguro. Tenho um filho adolescente que é menor e não sou um pai diferente dos demais, isto significa que tenho os cuidados que devemos ter na transmissão de conhecimentos, de educação, de definição de regras e de o responsabilizar pelos seus atos mas também de aprender a gerir a sua autonomia. Felizmente, tem sido um trabalho bastante compensador vê-lo crescer e ser um jovem que age com essa responsabilidade. Mas é claro que tudo o que envolve a segurança dos nossos filhos nos preocupa seja aqui seja em qualquer lugar.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo