Opinião | 05-06-2019 15:00

Botar ou não botar...eis a questão!

Botar ou não botar...eis a questão!
OPINIÃO

Emails do Outro Mundo

Cidadão Eleitor Serafim das Neves

Se pensaste que eu não iria falar das eleições para o Parlamento Europeu, enganaste-te redondamente. Com tantos motivos para uns bons nacos de prosa, não o fazer seria como ver passar uma mulher bonita de roupinha arejada e olhar para o contentor a transbordar de lixo do outro lado da rua, só para não suportar a fúria dos e das activistas moralistas que nos querem impor a auto-castração química através de leis que proíbem os piropos ou que nos impõem, através de sistemas de quotas, a colocação de Namoradas do Agricultor nas direcções de respeitáveis agremiações como a dos Comedores de Sandes de Coirato ou dos Amigos da Bejeka.

Antes de atacar os melhores nacos, deixo-te um aviso. Prepara-te para o voto “simplex” porque ele vai chegar muito em breve. Em Évora já houve votações “simplex” em algumas freguesias e correu tudo tão bem que a certa altura até houve um sistema informático que bloqueou e, como é normal nestas coisas, teve que ser reiniciado.

Não foi nada que não aconteça regularmente nos sistemas informáticos de serviços públicos, sejam hospitais, centros de saúde, segurança social, locais onde se tira o cartão do cidadão e escolas, por exemplo, o que me faz acreditar que as próximas eleições podem vir a decorrer em dois ou três dias. Já estou a ver folhas manuscritas coladas nas portas de secções de voto com a frase: Sistema informático fora de serviço. VOTE amanhã s.f.f.”.

E aqui vão então algumas notinhas sobre o acto. A abstenção na região ficou bastante abaixo da abstenção nacional (65,41 contra 68,60) o que confirma que eu tenho razão quando digo que nos faltam mais actividades lúdicas para a ocupação dos tempos livres. À falta disso há cidadãos que, em desespero, até vão votar numas eleições para o Parlamento Europeu, imagina!

No Entroncamento, o esforço do presidente da câmara, Jorge Faria (PS) para ensinar boas maneiras aos cidadãos de etnia cigana, deve estar a pecar por falta de resultados. Só assim se explica que o Basta do luso nacional/populista André Ventura, tenha tido, aqui na região, o seu melhor resultado naquele concelho, conseguindo 3,07%, quando a nível nacional se quedou por 1,97%.

Quem também teve o melhor resultado da região no Entroncamento foi o PAN. Conseguiu 5,16 por cento, quando a nível nacional se ficou pelos 5,08%. A situação é fácil de explicar uma vez que o Entroncamento, como sabes, tem mais blocos de apartamentos que a Amadora, com tudo o que isso significa em termos de concentração de tarecos e bóbis. Não é por acaso que ali, quando os cidadãos pedem mais jardins e relvados imagina-se logo que não é para as crianças mas para os seus “meninos... e meninas”.

Eu só não percebo porque é que concelhos com tantos animais como Coruche, Alpiarça, Golegã ou Chamusca, não votam maciçamente no PAN. Ali há vacas, bois, touros, cavalos, porcos e galinhas em barda, para não falar de eucaliptos, pinheiros, sobreiros e no entanto a percentagem do PAN pouco ultrapassa os dois por cento. Na minha modesta opinião aquele partido tem que ir mais para o campo, para a natureza...há lá muito voto e outras coisas à espera da visita dos seus activistas. Eles que experimentem a ver se é verdade ou não.

E o mesmo conselho pode ser dado ao Bloco de Esquerda que, com 15,1%, teve o seu melhor resultado na região, quiçá no país, no fenomenal concelho do Entroncamento (lá está o efeito bloco... de apartamentos) mas que nos concelhos mais campestres e com menos cimento por metro quadrado, como Coruche, Alpiarça ou Chamusca, pouco passou dos seis por cento. É ir para o campo pessoal. É ir para o campo, antes que o PAN lá chegue.

Saudações eleitoralmente vitoriosas

Manuel Serra d’Aire

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1408
    19-06-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1408
    19-06-2019
    Capa Médio Tejo