Política | 11-12-2004 22:03

Jerónimo de Sousa admite coligação

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, pediu sexta-feira o reforço do voto comunista nas próximas eleições legislativas, admitindo estar disponível para uma eventual coligação com o PS, desde que este abdique da "política de direita".

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, pediu sexta-feira o reforço do voto comunista nas próximas eleições legislativas, admitindo estar disponível para uma eventual coligação com o PS, desde que este abdique da "política de direita"."O PCP é um partido que não abdica do seu direito de participar em soluções governativas, mas não estamos disponíveis para participar e ser cúmplices em politicas de direita, como o drama das privatizações dos hospitais do qual não ouvimos o PS fazer uma demarcação clara", afirmou o líder dos comunistas."A vitória do PCP seria a derrota da direita e o reforço da CDU.Esse é que é o nosso objectivo eleitoral", acrescentou Jerónimo de Sousa, que falou aos jornalistas no final de um comício na Amora, concelho do Seixal, onde estiveram mais de 400 militantes e simpatizantes do partido.Contraditório na sua intervenção, o líder comunista, embora aberto a possíveis entendimentos com o PS, teceu duras críticas ao partido liderado por José Sócrates."Proclamam que o PCP mude, mas é inaceitável que um partido de esquerda queira prosseguir uma política de direita", declarou Jerónimo de Sousa, referindo-se ao partido socialista.Para o secretário-geral do PCP, o "reforço no voto comunista nas eleições legislativas marcadas para 20 de Fevereiro "evita a decepção da alternância" entre os governos PS e PSD.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo