Política | 06-02-2005 19:11

Santarém, um distrito com 10 mandatos e 380 mil eleitores

Os eleitores do distrito de Santarém, cerca de 380 mil, vão estar, nas legislativas de dia 20, mais preocupados com o Governo do país do que com as propostas de cada partido para a região.Numa campanha que se tem caracterizado por um rodopio de visitas dos candidatos a instituições um pouco por todo o círculo eleitoral, apenas os cabeças de lista da CDU, Luísa Mesquita, e do CDS/PP, Nuno Fernando Thomaz, dão a cara em cartazes para apelar ao voto dos ribatejanos.Os dois principais partidos, PS e PSD, apostaram na continuidade de figuras da região, com Jorge Lacão e Miguel Relvas a liderarem listas sem grandes novidades, enquanto o Bloco de Esquerda escolheu Joana Amaral Dias para o desafio, difícil, de ser eleita.O risco de desagregação do distrito tem sido um dos temas em debate depois de o mandatário do PSD, o presidente da Associação Empresarial da Região de Santarém, José Eduardo Carvalho, apelar à concertação de uma estratégia que evite que a passagem da Lezíria do Tejo para o Alentejo e do Médio Tejo para o Centro no próximo Quadro Comunitário de Apoio consume uma clivagem que começa a ter sinais evidentes.Jorge Lacão já fez saber que a reunificação do distrito só não será uma das primeiras medidas de um Governo socialista porque primeiro é preciso estudar os dossiers da integração da Lezíria do Tejo na Região Alentejo e do Médio Tejo na Região Centro, decidida pelo Governo de Durão Barroso por iniciativa de Miguel Relvas, que procurou assim uma resposta para a falta de apoios que têm afectado o distrito por este estar ligado a Lisboa.PS e PSD vão bater-se por conquistar a maioria dos votos dos 386.745 eleitores inscritos no distrito, tendo em conta que nas legislativas de 2002 os socialistas venceram por escassos 617 votos (38,38 por cento dos votos contra 38,12 por cento do PSD), elegendo os mesmos quatro deputados que os sociais-democratas.Dos 10 mandatos que cabem ao círculo eleitoral de Santarém, um foi para a CDU (8,54 por cento dos votos) e outro para o CDS/PP (8,4 por cento), tendo o Bloco de Esquerda conquistado a simpatia de apenas 2,79 por cento dos eleitores do distrito.Com 453.915 habitantes, segundo os censos de 2001, o distrito de Santarém registou um ligeiro aumento (2 por cento) da sua população numa década, sobretudo em concelhos como Entroncamento, Benavente e Ourém, mas oito dos 21 concelhos, sobretudo os mais interiores, com Mação à cabeça, perderam população.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo