Política | 16-03-2006 09:48

Torres Novas e Abrantes querem melhor gestão de fundos

Os presidentes das Câmaras de Torres Novas e Abrantes, eleitos pelo PS, reclamam maior harmonia na gestão dos fundos c omunitários, ultrapassando a divisão criada em torno das duas Comunidades Urbanas (Comurb) no distrito.O distrito está dividido em duas Comurb (do Médio Tejo a norte e da Lezíria do Tejo a sul) e em duas Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (Centro e Évora) o que pode dificultar o trabalho de articulação dos apoios comunitários para a região, consideraram os autarcas.O presidente da Câmara de Torres Novas, António Rodrigues, defende a unificação das duas Comurb numa "Grande Área Metropolitana" que abranja todo o distrito."A junção do Médio-Tejo e da Lezíria não pode ser uma estratégia partidária" mas sim uma solução "para salvaguardar o desenvolvimento" futuro do distrito, afirmou o autarca, que propõe Santarém como futura capital dessa região."Ainda ninguém fez nenhuma lei a dizer que Santarém deixou de ser capital do distrito", disse.O presidente da Câmara de Abrantes, Nelson Carvalho, considera que as duas Comurb "correspondem bem a modelos de planeamento intermunicipal", mas é necessário "definir estratégias comuns a todo o distrito" para "articular investimentos" futuros.Para o autarca, que concorre com António Rodrigues à liderança da Federação Distrital do PS, "não há necessidade de fundir as duas Comurb" mas sim uma maior "coordenação da gestão dos fundos" que o distrito irá receber.A proposta do Governo de criar um Plano de Ordenamento do Vale do Tejo (que abrange todo o distrito) é saudada pelo autarca de Abrantes que defende "es tratégias concertadas" para "garantir o máximo de investimento" do próximo Quadro de Referência Estratégica Nacional.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo