Política | 19-04-2006 17:41

Lena Ambiente nega negociação de contrapartidas com Câmara de Santarém

O administrador da empresa Lena Ambiente, que faz parte do consórcio que ganhou o concurso público internacional para entrar no capital social da Águas do Ribatejo, garantiu a O MIRANTE que não negociou contrapartidas com a Câmara de Santarém. Armando Paulino da Silva diz ainda que a empresa não está em condições de prometer nada. “Era impossível termos negociado contrapartidas porque o consórcio é um accionista minoritário numa empresa (Águas do Ribatejo) que ainda não foi constituída”, salientou. “”Nestas condições não conseguimos oferecer uma câmara nova a quem quer que seja”, acrescentou Armando Paulino da Silva. O administrador da Lena Ambiente considera que o anúncio feito pelo presidente da Câmara de Santarém, Moita Flores, na reunião do executivo de 3 de Abril, na qual disse que o consórcio privado iria construir os novos paços do concelho como forma de assegurar a participação de Santarém na Águas do Ribatejo, é uma mera “manifestação de vontade”.Sobre a possibilidade do concurso ser anulado, Armando Paulino da Silva sublinhou que o consórcio não tem nada a perder porque a empresa ainda não investiu dinheiro nenhum. “Quem tem a perder é a região, já que os atrasos neste processo podem levar à perda de fundos comunitários já aprovados para o saneamento básico”, salientou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo