Política | 11-05-2009 15:25

Junta de Rio Maior protesta contra indeferimento de Gabinete de Inserção Profissional

A Junta de Freguesia de Rio Maior não se conforma com o indeferimento, pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), da sua candidatura à criação de um Gabinete de Inserção Profissional, serviço que substitui a extinta UNIVA – Unidade de Inserção na Vida Activa que a autarquia dinamizava desde 2002. O IEFP, que tutela o processo de transformação das UNIVA em Gabinetes de Inserção Profissional, comunicou recentemente à junta de freguesia a sua decisão, alegando que a candidatura da autarquia perdeu no factor de abrangência geográfica. Uma justificação que a presidente da junta, Isaura Morais (PSD), não aceita. Até porque a acção da extinta UNIVA ultrapassava o âmbito da freguesia e até do concelho de Rio Maior, prestando serviços a cidadãos de municípios vizinhos como Santarém, Alcobaça e Caldas da Rainha.A UNIVA da Junta de Freguesia de Rio Maior operava na recolha de ofertas de emprego e sua divulgação, informação profissional para desempregados, controlo das apresentações quinzenais dos beneficiários das prestações de desemprego, entre outros serviços. Serviços que, nesse concelho, passam a ser prestados pela Câmara de Rio Maior, segundo informação do IEFP. Embora, de acordo com a mesma fonte, a decisão final ainda não esteja tomada. Segundo o IEFP, a decisão prende-se com o facto de existir um número limitado de GIP – 400 em termos nacionais e cinco na área de abrangência do Centro de Emprego de Santarém. Das 13 candidaturas apresentadas para essa área, o IEFP escolheu as cinco que considerou possuírem as melhores condições de cobertura territorial e de abrangência da população desempregada.Razões que a Junta de Rio Maior não aceita de bom grado. “A Junta de Freguesia de Rio Maior, totalmente consciente do bom e muito reconhecido trabalho que a sua UNIVA estava a desempenhar, não aceita esta decisão de braços cruzados, pois está em causa o futuro de centenas de cidadãos”, adverte Isaura Morais, que é também candidata do PSD à presidência da Câmara de Rio Maior. A autarca diz que fará “todos os esforços para total esclarecimento deste processo” e garante que “mesmo que o processo seja irreversível a junta não deixará de continuar a trabalhar na área de emprego e questões sociais”.Segundo o IEFP, no distrito de Santarém vão funcionar GIP em Samora Correia (Benavente), Glória do Ribatejo (Salvaterra de Magos), Coruche, Almeirim, Alpiarça Santarém, Cartaxo Rio Maior, Minde (Alcanena), Chamusca, Golegã, Entroncamento, Constância, Tramagal (Abrantes), Ferreira do Zêzere e Ourém.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo