Política | 26-05-2009 20:03

Alunos da Escola Profissional acham importante visita de candidatos

Confessadamente desinteressados da política, alguns alunos da Escola Profissional de Salvaterra de Magos (EPSM) acharam “importante” a presença de um candidato às eleições europeias na escola: hoje, Miguel Portas, do Bloco Esquerda.“Acho importante este tipo de coisas nas escolas para estarmos informados”, disse à agência Lusa Catarina Geada, 17 anos, aluna do curso de Contabilidade.Ainda sem idade para votar, Catarina confessa que, se pudesse, iria votar, corroborando a proposta hoje defendida pelo cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda ao Parlamento Europeu, Miguel Portas, do voto a partir dos 16 anos.“Não sei muito bem em qual, mas iria votar sim”, disse Catarina.Pelo contrário, João Pereira, 19 anos, do curso de Informática, não vai votar e diz que nem sequer se recenseou, ignorando que o recenseamento eleitoral é agora automático.“Por falta de tempo. Temos uma carga horária excessiva”, justificou, aproveitando outra “deixa” da “aula” dada por Miguel Portas, que considerou “um abuso cargas semanais de 36 horas em matéria de ensino”.A ideia que João tem da importância da Europa para Portugal é a dos fundos, das “ajudas para ver se vamos a algum lado”, porque “isto hoje em dia está muito mau”, opinião partilhada por Catarina, que, contudo, lamenta que esses dinheiros “não sejam tão bem utilizados como se calhar deveriam ser”.David Abreu, 17 anos, é um dos alunos do curso de Hotelaria e Restauração da EPSM que preparou um pequeno “lanche” antes da partida da comitiva do BE para a Chamusca.Sabe, “pela televisão”, que se vão realizar eleições, mas, confessa, a política “não é o seu forte”.Da Europa conhece o programa Comenius, em que a EPSM participa e que tem permitido a troca de experiências com alunos de outros países.Salomé Rafael, directora da EPSM, disse à Lusa que a escola abre as portas aos partidos políticos que o solicitam, na condição de que “não tragam bandeiras nem façam comícios”, tendo tido, nesta campanha, solicitações do BE e da CDU.“Recebemo-los com muito gosto, ouvimos o que têm para dizer, as suas opiniões”, e os alunos mais interessados “colocam questões, opinam, é uma mais valia”, disse.Ela própria mandatária distrital da campanha do PS para as europeias, Salomé Rafael confessa que, nos contactos que mantém com os jovens, percebe que “o pensamento que têm de quem faz política é péssimo”, pelo que entende que cabe também às escolas trabalharem “assuntos de cidadania”.“E um dos assuntos de cidadania importantes é perceberem que votarem, terem opinião e informação é fundamental”, afirmou.A Escola Profissional de Salvaterra de Magos tem 400 alunos em regime diurno e 300 em regime nocturno, já beneficiou no passado de verbas do Fundo Social Europeu, mas a sua directora lamenta que esteja vedado às escolas profissionais o acesso a fundos comunitários para obras e equipamento.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo