Política | 12-01-2010 09:35

Oposição critica mudanças no regimento da Câmara de Alcanena

A presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira (PS) apresentou na última reunião de câmara, realizada a 11 de Janeiro, a proposta com vista à alteração do regimento na câmara municipal. As reuniões passam a ser quinzenais, sendo uma de carácter privado (na primeira semana de cada mês) e a segunda aberta ao público. A autarca anunciou ainda que todas as reuniões passam a ser gravadas “de modo a permitir a transcrição fidedigna das declarações proferidas durante as mesmas. O vereador Eduardo Marcelino (ICA) questionou porque motivo passa a existir uma reunião privada ao que Fernanda Asseiceira respondeu que com esta alteração apenas “vai ao encontro do que a generalidade dos outros municípios faz”, estando prevista esta possibilidade na lei. Os ICA não acolheram o argumento e chegaram mesmo a considerar esta proposta como “uma afronta à democracia que vem contribuir para o descrédito dos políticos do concelho de Alcanena”. De igual modo, a vereadora Renata Henriques (CDS-PDS) também deixou bem claro que não concorda com as mudanças apresentadas. “Toda a gente tem direito a vir assistir às reuniões”, salientou. Fernanda Asseiceira retorquiu alegando que “não regista acusações e fora das reuniões está sempre disponível para atender os munícipes”. A proposta acabou por passar apenas com os votos da maioria socialista. Notícia mais desenvolvida na edição semanal

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo