Política | 14-12-2010 07:28

Orçamento da Câmara de Alpiarça marcado pelo plano de saneamento financeiro

A conclusão das obras de recuperação e requalificação da Casa dos Patudos, no valor de um milhão e novecentos mil euros, e a conclusão do novo Centro Escolar (900 mil euros) são os principais investimentos incluídos no orçamento do município de Alpiarça para 2011. Um orçamento de 15,5 milhões de euros que, segundo o presidente da autarquia, Mário Pereira (CDU), se destina a pagar dívidas a fornecedores e sanear alguns empréstimos. “O orçamento deste ano, e dos próximos também, fica muito marcado pelo plano de saneamento financeiro. Temos que liquidar as nossas dívidas e o orçamento fica muito condicionado por essa situação”, salientou o autarca realçando o corte de 304 mil euros que sofreram por parte do Governo ainda em 2010.Mário Pereira justifica o aumento de mais de dois milhões de euros em relação ao orçamento de 2010 com a necessidade “técnica” de liquidar dívidas aos fornecedores. O executivo municipal pretende investir na valorização do espaço urbano do concelho. A área envolvente ao edifício dos paços do concelho será uma prioridade, assim como a requalificação do Parque do Carril. A autarquia vai adquirir equipamento de combate a incêndios e uma ambulância. Um novo autocarro para renovar a frota de viaturas do município que, segundo Mário Pereira, está “velhinha”, é outro dos objectivos do executivo municipal.Fora dos planos da equipa de Mário Pereira está a realização da Feira do Vinho que foi interrompida este ano. “Ainda não existem condições financeiras para retomarmos esse evento. Neste momento existem outras prioridades”, disse. A vereadora Regina Ferreira (PS) chamou a atenção para a “necessidade” do documento sobre o orçamento estar mais explícito. “Não se entende o objectivo das propostas”, disse. Regina Ferreira considerou o valor atribuído para a rubrica de espectáculos “bastante reduzido” (30 mil euros) em comparação com os cerca de 60 mil euros do ano transacto. Também a rubrica de publicidade com 51 mil euros (em 2009 foram cerca de 87 mil euros) mereceu o reparo da vereadora socialista. “A rubrica de espectáculos tem um valor bastante reduzido em relação à rubrica de publicidade. Será difícil ter bons espectáculos sobretudo durante a Feira de Alpiagra apenas com 30 mil euros para o ano todo”, disse a vereadora. Mário Pereira explicou que têm que continuar a ser “rigorosos”, mas “estas são daquelas rubricas que podem sofrer ajustes ao longo do ano consoante as necessidade”, referiu.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo