Política | 19-12-2010 00:19

Educação e acessibilidades são prioridades para 2011 em Benavente

A educação e as acessibilidades são as duas grandes prioridades do município de Benavente para 2011. O orçamento para o próximo ano ronda os 20 milhões de euros - menos dois milhões que no ano passado – e por isso a câmara apresentou uma proposta contida que dá primazia às obras com candidatura já aprovada no QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional). É o caso do Centro Escolar de Porto Alto, variante a Samora Correia, variante à Vila das Areias, em Benavente, e ligação da estrada 515 à 118-1, entre Barrosa e Santo Estêvão.As propostas de orçamento e as Grandes Opções do Plano foram aprovadas por maioria na última assembleia municipal, realizada na tarde de sexta-feira, 17 de Dezembro, com 14 votos a favor da CDU e 10 abstenções das restantes bancadas (PS, PSD, CDS-PP e BE).O documento prevê ainda um conjunto de intervenções que dizem respeito a ruas e arruamentos, bem como à rede viária e a espaços verdes, como é o caso da urbanização de Vale Bispo, na Barrosa. Algumas obras darão continuidade ao trabalho já iniciado no ano anterior.O presidente da Câmara Municipal de Benavente considera importante que face aos fundos disponíveis se dê prioridade a obras comparticipadas. “Estamos a concluir um conjunto de projectos tendo em conta a possibilidade de virmos a conseguir novas candidaturas na reformulação do QREN que se vai verificar no ano de 2011”, explicou a O MIRANTE António José Ganhão (CDU). O autarca garante ainda que a câmara está atenta aos equipamentos sociais. “Só temos um em condições de avançar que é o lar para pessoas com deficiência do CRIB, mas está já em fase de aprovação a candidatura da nova creche para Benavente e temos a expectativa de que o Lar da Maxuqueira possa vir a ser financiável”, revela o autarca que garante que estas obras estão contempladas, mas com alguma indefinição no que diz respeito aos prazos. “Temos a esperança de poder vir a incluir novos projectos e a fazer uma primeira revisão do orçamento já com a inclusão de novas candidaturas”, concluiu.O deputado do Bloco de Esquerda, Hélder Agapito, reclamou mais participação na elaboração de orçamentos futuros. O deputado do PSD, Nuno Ganhão, lamentou por seu lado que o orçamento tenha em previsão a construção de estradas em vez de mais escolas. A bancada do PS, pela voz de Joaquim Castanheiro, desafiou António José Ganhão a oferecer gratuitamente as refeições aos alunos do primeiro ciclo. A sugestão não foi bem acolhida. “Não recebemos lições de ninguém em matéria de gestão municipal. Se o Ministério da Educação, a quem essa medida já foi proposta, diz que o país não tem condições para isso serão os municípios a fazê-lo?”, questionou o presidente lembrando que o município já foi pioneiro ao garantir gratuitamente as refeições às crianças do ensino pré-escolar. António José Ganhão sublinha que Benavente tem um orçamento “cauteloso e prudente” que não hipoteca o futuro da câmara.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo