Política | 02-12-2011 16:39

Vereadores da Coligação Novo Rumo não reagem à humilhação

Os vereadores da Coligação Novo Rumo na Câmara de Vila Franca de Xira, Rui Rei e Helena Pereira de Jesus, continuam em silêncio depois da embaraçosa retirada de confiança de que foram alvo por parte da presidente Maria da Luz Rosinha (PS), quando esta lhes retirou os pelouros na tarde de 30 de Novembro, no final da última reunião pública de câmara.Rui Rei e Helena de Jesus continuam calados como na tarde em que tudo aconteceu e Rui Rei já garantiu por diversas vezes que não irá fazer comentários sobre o assunto, revelando o grau de embaraço causado pela situação. Ao contrário do que seria de esperar ainda não foi convocada qualquer conferência de imprensa para esclarecer o assunto. Sabe-se, contudo, que o ambiente é pesado nos corredores da câmara, com os vereadores a tentar evitar cruzar-se com a presidente. Na página da Internet da coligação não há qualquer referência ao episódio. Recorde-se que a presidente do município, Maria da Luz Rosinha (PS), retirou os pelouros a Rui Rei e Helena Pereira de Jesus no final da reunião e em frente de todos os que se encontravam na sala, depois de uma discussão azeda a propósito de uma urbanização na Póvoa de Santa Iria, de sete lotes com dez pisos, um processo que se arrasta há 18 anos na câmara.Só o vereador João de Carvalho, vereador a tempo inteiro, mantém o pelouro da cultura. João de Carvalho foi o que menos se pronunciou sobre o assunto limitando-se de forma muito breve a dizer que havia "falta de diálogo", o que lhe valeu a manutenção do pelouro. “Dada a declaração de voto do vereador João de Carvalho, mantiveram-se os pelouros que lhe foram delegados. Esta decisão, que lamentamos, não tem a ver com divergências políticas, mas sim com questões de procedimento”, esclareceu a câmara numa nota de imprensa enviada na noite de quarta-feira.Rui Rei, responsável pelas obras e modernização administrativa, e Helena Pereira de Jesus, que tinha a seu cargo os assuntos jurídicos, trânsito e actividades económicas, ambos vereadores a meio tempo, perdem assim os pelouros que tinham sido atribuídos pelo PS no âmbito de um acordo depois das últimas eleições autárquicas.A autarquia esclarece que a decisão foi tomada devido a “diversas exigências colocadas pelo Presidente da Comissão Política Concelhia do PSD, em nome da “Coligação Novo Rumo”. “Entendeu o Partido Socialista, enquanto responsável pela gestão do Município, que não havia condições para manter o entendimento estabelecido”, lê-se na nota.Ao manter João de Carvalho como vereador a presidente consegue assegurar os seis votos necessários para continuar a aprovar as propostas por maioria, mesmo com três vereadores da oposição (CDU) e dois vereadores da Coligação sem pelouro.* Notícia desenvolvida na próxima edição impressa de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo