Política | 12-12-2011 21:27

PS acusa concelhia do PSD de Vila Franca de Xira de querer “substituir-se” aos vereadores

O PS de Vila Franca de Xira acusou esta segunda-feira a comissão política concelhia do PSD de querer "substituir-se aos vereadores" eleitos pela Coligação Novo Rumo (CNR) no relacionamento com o executivo municipal.Em conferência de imprensa, o presidente da comissão política concelhia do PS, Fernando Paulo, disse que essa foi a "razão fundamental" pela qual a presidente do município retirou os pelouros a dois dos três vereadores da CNR, liderada pelo PSD, no final da reunião camarária de 30 de Novembro.Na ocasião, Maria da Luz Rosinha (PS) justificou a medida com "exigências colocadas pelo presidente da comissão política concelhia do PSD", Gonçalo Xufre, que já negou ter feito tais "exigências" e acusou a autarca de "prepotência, arrogância e intromissão" nos pelouros dos vereadores do PSD.Para o presidente da concelhia do PS, a comissão política do PSD "desacreditou os seus vereadores, eleitos democraticamente", quando "pretendeu passar a constituir-se como seu interlocutor em assuntos da gestão da câmara".Fernando Paulo considerou a situação "inaceitável" e acrescentou que "foi impossível manter o acordo com o PSD", salientando que "não foi o PS nem o seu executivo" quem "criou esta situação" que levou ao fim do entendimento com a CNR saído das últimas eleições autárquicas.A ruptura faz com que o PS possa contar apenas, nas votações das reuniões de câmara, com os seus cinco autarcas, dos onze que estão no executivo. A Coligação Novo Rumo tem três vereadores, agora sem pelouros, e CDU também tem três.O presidente da concelhia do PS criticou também os vereadores laranja por terem votado contra a alteração de loteamento da Quinta da Piedade, na Póvoa de Santa Iria, durante a reunião de câmara que antecedeu a retirada dos pelouros, justificando a decisão com a "pouca informação" disponibilizada pelo executivo PS."Essa situação provocou uma quebra de confiança institucional, que o PS, tendo em conta as responsabilidades de gestão municipal, não pôde aceitar. Uma gestão conjunta exige sempre lealdade", defendeu Fernando Paulo.Após a reunião camarária de 30 de Novembro, a presidente da autarquia de Vila Franca de Xira, Maria da Luz Rosinha, decidiu então retirar os pelouros a Rui Rei e Helena de Jesus, mantendo no pelouro da Cultura João de Carvalho, que o viria a entregar uma semana depois.Com o fim do entendimento entre PS e CNR, Fernando Paulo assume que a gestão futura do município "será diferente, com apenas maioria relativa", mas assegura que o executivo PS "não se demitirá das responsabilidades que assumiu com a população" e irá continuar a "trabalhar pelo desenvolvimento do concelho".Quando questionado se já está escolhido o candidato do PS às próximas eleições autárquicas em Vila Franca de Xira, já que Maria da Luz Rosinha não se pode recandidatar, Fernando Paulo referiu que "durante o próximo semestre" haverá novidades sobre o assunto.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo