Política | 06-03-2012 14:17

Independentes por Tomar" admitem demissão em bloco para permitir eleições intercalares

O grupo “Independentes por Tomar” chamou a comunicação social a uma conferência de imprensa na tarde de segunda-feira, 5 de Março, para deixar bem explícito que caso o actual executivo social-democrata que gere a Câmara de Tomar, liderado por Carlos Carrão, não apresente a demissão, "serão eles a criar condições para que se demitam", dando espaço à realização de eleições intercalares, antes das autárquicas de 2013.Pedro Marques refere, no entanto, que só avança caso os vereadores do Partido Socialista (PS), a outra força política na oposição, façam igual procedimento uma vez que a demissão dos dois vereadores independentes, por si só, garantia uma nova maioria ao PSD. Na última reunião de executivo camarário, realizada na manhã do mesmo dia, o vereador socialista, Luis Ferreira, “convidou” o presidente da Câmara a sair de funções, mas, segundo apurámos, ainda não existe uma decisão ao nível da estrutura partidária, liderada por Anabela Freitas. Num comunicado intitulado “A Câmara gerida pelo executivo PSD bateu no fundo”, os independentes referem que o actual Executivo PSD, “face à incompetente gestão que tem protagonizado, não tem capacidade política, nem reúne condições para continuar a liderar os destinos do município que continua num processo acelerado de corrida para o abismo”. Pedro Marques e Graça Costa consideram que a situação piorou com a suspensão de mandato, e posterior renúncia, de Corvêlo de Sousa, acrescentando que não há diálogo com o actual presidente de câmara, Carlos Carrão. Pedro Marques considera que este modo de governar é um “vício”, fruto de alguns mandatos em maioria absoluta. * Notícia desenvolvida na próxima edição semanal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo