Política | 06-05-2012 10:58

Eleitos preocupados com manutenção do Instituto Politécnico de Tomar

“Manifestar o apoio à direcção do Instituto Politécnico de Tomar pelo trabalho desenvolvido, manifestando a disponibilidade da autarquia em apoiar todas as acções de valorização e desenvolvimento da instituição”, era o teor da moção que foi apresentada pelo Partido Social Democrata (PSD) e gerou alguma discussão entre os deputados da assembleia municipal de Tomar, reunidos na sexta-feira, 27 de Abril. O documento, que se pautou por ser vago, esconde para muitos a forte possibilidade do IPT vir a fechar portas. Foi o deputado do Partido Socialista (PS), Hugo Costa, que meteu o dedo na ferida chamando a atenção do presidente da autarquia, Carlos Carrão (PSD), para que faça algo para evitar estes desfecho. “A escola pública não pode ser atacada. O que será da economia deste concelho sem Politécnico? A história não será simpática para quem deixa fechar um hospital e um politécnico”, sublinhou. Também Luis Antunes, da bancada da CDU, estranhou o documento de apoio ao IPT, considerando que o mesmo esconde alguma informação sonegada. “Porque é que aparecem agora documentos a falar do IPT? Se os senhores sabem alguma coisa partilhem connosco”, pediu. Carlos Carrão respondeu que, em relação a este assunto, que não irá fugir à responsabilidade. “O país está a ser destruído, não por uma guerra mas por um buraco financeiro”, disse, acrescentando que os autarcas têm sido confrontados com dados consumados por parte da administração central. A moção foi aprovada por unanimidade.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo