Política | 29-10-2013 13:32

Impasse mantém-se após três reuniões e ainda não há executivo para governar a junta Urbana de Tomar

Saíram goradas as três tentativas para eleger o executivo da nova junta urbana de Tomar, que agrega as freguesias de São João Baptista e Santa Maria dos Olivais. Depois da lista apresentada pelo actual presidente Augusto Barros (PS) ter sido rejeitada na sexta-feira, 18 de Outubro, a assembleia voltou a reunir-se na noite de quarta-feira, 23, para formar elenco mas acabou de forma inconclusiva. Novamente reunida na noite de segunda-feira, 28 de Outubro, o autarca não cedeu e apresentou a votação a mesma lista constituída por Joana Nunes (PS), Artur Damásio (PS), José Maria Marques (PS) e Albertino Cartaxo (CDU). O resultado da eleição foi o mesmo que se verificou nas duas primeiras reuniões: sete votos contra (PSD e Independentes) e seis a favor (PS e CDU), estando agora marcada uma nova assembleia para o dia 4 de Novembro, pelas 21 horas. A concelhia do Partido Socialista (PS) de Tomar condena o acto considerando que "é claro que existe uma coligação estabelecida entre os derrotados do PSD e dos independentes, no sentido de tentar inviabilizar a eleição de uma mesa da assembleia municipal presidida por quem ganhou as eleições". Já o PSD de Tomar diz que, logo após a primeira reunião, apelou ao presidente da junta urbana "que reconsidere a sua posição de colocar à votação a mesma lista já recusada", assumindo o papel de "uma oposição responsável, consciente que perdeu as eleições mas que garante a representatividade dos seus eleitores". A comissão política social democrata recorda ainda que, nos últimos quatro anos, Augusto Barros presidiu à Junta de São João Baptista com dois vogais dos IpT, um do PSD e outro do PS.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo