Política | 21-12-2013 08:52

Gestão da antiga Estação Zootécnica Nacional questionada

Os deputados socialistas eleitos por Santarém questionaram a ministra da Agricultura sobre se “desconhece” a “real situação” do Polo de Santarém do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) e se o Governo está a ser “propositadamente negligente”.Num requerimento entregue no dia 19 de Dezembro no parlamento, os deputados Idália Serrão, António Gameiro e João Galamba acusam o INIAV de gestão “ineficiente” do Polo de Santarém (antiga Estação Zootécnica Nacional), pondo nomeadamente em causa a concretização de projectos de investigação nacionais e internacionais.Os deputados afirmam que os serviços centrais do INIAV, que actualmente fazem a gestão administrativa e financeira do Polo de Santarém, “não dão despacho a requisições de materiais necessários ao desenvolvimento dos projectos”.Os deputados realçam que esta actuação impede, não só a aquisição de reagentes para uso laboratorial, como das rações para a alimentação de animais destinados à investigação, dos suplementos alimentares (obrigando a enviar animais para abate por carência alimentar), do gasóleo para deslocações correntes, ou de sementes “cujas requisições aguardam meses por despacho dos serviços centrais, deixando assim passar a época de sementeira” que tem por objetivo a alimentação dos animais que deverão integrar os projetos.“As entropias causadas pela deficiente gestão que os serviços centrais do INIAV fazem relativamente ao Polo de Santarém causam ainda outro tipo de constrangimentos: são os investigadores que estão na linha frente das parcerias nacionais e internacionais e que ‘dão a cara’, injustamente, pelos incumprimentos”, refere o documento.O requerimento lembra que a antiga Estação Zootécnica Nacional (EZN, vulgarmente designada por Fonte Boa) “é um centro de referência nacional e internacional na área da investigação em Produção Animal”, uma distinção que “advém de décadas de trabalho e do mérito de investigadores e colaboradores que integram os quadros do Polo de Santarém”.No Polo de Santarém do INIAV trabalham atualmente cerca de 120 pessoas, 20 das quais investigadores, doutorados “com especializações muito específicas em produção animal”, que “representam conhecimento, massa crítica e prestígio para o concelho de Santarém, para o país e para a comunidade cientifica internacional”, realçam.No requerimento, os deputados questionam ainda o que pretende o Governo fazer com esta estrutura, se vai dar condições efectivas de trabalho, em investigação e desenvolvimento, aos seus investigadores, e o que tem a dizer às cerca de 120 pessoas que aí trabalham “acerca da falta de condições para o desenvolvimento da atividade subjacente ao seu vínculo laboral”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo