Política | 30-06-2015 12:47

Dissidente do PSD passa a dirigir concelhia de Almeirim

Nuno Fazenda foi candidato à presidência da Câmara de Almeirim contra o PSD nas últimas eleições, integrando o Movimento Independente pelo Concelho de Almeirim (MICA), e agora num momento em que o PSD de Almeirim estava moribunda conseguiu ser presidente da concelhia do partido. O novo presidente afastou-se do PSD em 2005, altura em que deixou de pagar quotas. Depois de ter integrado as listas do MICA em duas eleições, a secção do partido nunca afastou Nuno Fazenda que se manteve adormecido até que de repente aparece como único candidato à concelhia do PSD. Nas eleições que decorreram na sexta-feira à tarde, Fazenda obteve 19 votos a favor e houve um voto em branco. Os estatutos do partido permitem que um militante passe anos sem pagar quotas e que reactive a sua inscrição pagando apenas as quotas dos últimos dois anos, num valor total de cerca de 25 euros. O militante de base, Pedro Pisco dos Santos, que foi vereador na Câmara de Almeirim, não se candidatou à concelhia por, justifica, fazer parte dos órgãos distritais do partido. Pisco dos Santos refere que no PSD de Almeirim não se faz caça às bruxas e que por isso Fazenda não teve um processo de expulsão por fazer parte do MICA. “Tenho dúvidas sobre qual vai ser a situação da concelhia e se o PSD de Almeirim não se vai tornar numa barriga de aluguer de um movimento independente”, salientou em declarações a O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo