Política | 01-10-2017 13:13

Filas para votar na Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa

Filas para votar na Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa
AUTÁRQUICAS 2017

Votantes chegam a esperar perto de meia hora em alguns locais

Está a ser um dia de espera para os eleitores que queiram votar na União de Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa, no concelho de Vila Franca de Xira. Tudo porque a reorganização das mesas de voto realizada este ano ditou que das 34 que existiram há quatro anos se passasse para 29 mesas este ano. Menos cinco mesas, no total. Isto num sufrágio em que estão inscritos mais 487 eleitores do que nas últimas autárquicas.

Este ano a Comissão Nacional de Eleições determinou que as mesas de voto podem ter até 1500 eleitores cada. Por isso, a maioria dos partidos concorrentes àquela união de freguesias aprovou por maioria – com a oposição do movimento independente Póvoa + Forte – a reorganização das mesas. Várias mesas que tinham 300 ou menos eleitores foram agregadas a outras mesas. Esse aumento de eleitores por mesa gerou filas em alguns locais e a espera para votar chega a durar meia hora.

As filas e o elevado tempo de espera têm feito com que alguns eleitores desistam de exercer o seu direito de voto. Em algumas mesas, sobretudo no Forte da Casa, a situação também gerou algum descontentamento e ao longo da manhã chegou mesmo a registar-se uma altercação entre munícipes e elementos das mesas de voto, com ameaças de pancadaria.

Às 12h45 deste domingo o presidente da junta, Jorge Ribeiro (PS), assegurou a O MIRANTE que o acto eleitoral está agora a correr “com normalidade” naquela freguesia excepto em alguns locais onde disse haver “desestabilização” por parte de “elementos de algumas candidaturas”.

Há quatro anos a União de freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa foi a que teve menos gente a votar, com a maior taxa de abstenção registada naquele concelho, de 57,12 por cento.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo