Política | 13-11-2017 09:18

Maioria PS não quer orçamento participativo na Câmara de Salvaterra

Para o presidente da autarquia, Hélder Esménio (PS), esta não é a proposta mais adequada.

A maioria PS na Câmara de Salvaterra de Magos chumbou na última reunião do executivo uma proposta do Bloco de Esquerda (BE) que defendia a implementação do orçamento participativo no município e a criação de uma comissão composta por membros dos partidos com assento no executivo.

O que se pretendia, referiu o vereador Luís Gomes (BE), era criar um orçamento participativo que “constitua uma realidade com sucesso reconhecido, transversal às múltiplas forças partidárias, permitindo assim melhorar a qualidade da democracia através da aproximação dos cidadãos à política”.

Para o presidente da autarquia, Hélder Esménio (PS), esta não é a proposta mais adequada porque, “ainda que contribuindo seguramente para a participação de mais cidadãos, o processo de formação, do plano e do orçamento tem contra-indicações”, nomeadamente dos grupos de cidadãos se unem no sentido de um determinado resultado para o orçamento participativo que não seja a vontade explícita da população.

E Esménio acrescenta: “Enquanto eu acreditar que os autarcas são bons representantes da população, que as reuniões de trabalho com as juntas e com as associações são uma boa forma de obter e de perspectivar posições e que os compromissos eleitorais são para honrar, não vai haver o meu voto no orçamento participativo no concelho”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1326
    22-11-2017
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1326
    22-11-2017
    Capa Vale Tejo