Política | 22-12-2017 11:37

Comunistas e independentes abandonam assembleia da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa.

Mapa de pessoal só foi entregue aos eleitos momentos antes da assembleia.

Os eleitos pela Coligação Democrática Unitária (CDU) e pelo movimento independente “António Inácio Póvoa mais Forte” (AIPMF) não votaram o Orçamento de 2018 da União de Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa.

As duas bancadas abandonaram a assembleia de freguesia como forma de protesto para aquilo que consideravam ser uma ilegalidade, uma vez que o mapa de pessoal só foi entregue em cima da hora. O problema foi colocado à consideração do departamento jurídico da Junta que não viu qualquer ilegalidade na forma como foi proposto pelo executivo socialista.

David Costa, eleito pela CDU, explicou à restante assembleia que a bancada comunista foi aconselhada pelos serviços jurídicos do partido a retirar-se aquando da votação, mas que ia participar na discussão política. Já os membros do movimento independente AIPMF retiraram-se no exacto momento em que a mesa da assembleia lançou a discussão do documento.

Esta atitude gerou alguma estupefacção entre os restantes eleitos. Ricardo Silveira (PS) fez mesmo questão de frisar que o acontecimento era algo de inédito e que “em nada dignifica este órgão e os eleitores”.

Uma vez que estava reunido quórum, o trabalhos prosseguiram com normalidade, e o Orçamento para 2018 acabou por ser aprovado pelas bancadas da Coligação Mais e do Partido Socialista, com a abstenção do Bloco de Esquerda.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1333
    11-01-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1333
    11-01-2018
    Capa Médio Tejo