Política | 26-01-2018 12:36

CDS sugere revisão de licenças para descarga de águas residuais no Tejo

CDS defende que "a resposta do Governo é de passividade na resolução cabal deste atentado".

O CDS-PP questionou esta quinta-feira o ministro do Ambiente sobre a emissão de licenças de descarga de águas residuais no Tejo a várias empresas transformadoras emitidas pela Agência Portuguesa do Ambiente, sugerindo a sua revisão.
"Existem, ao longo do rio, várias empresas transformadoras com licenças de descarga de águas residuais emitidas pela Agência Portuguesa do Ambiente - ARH Tejo e Oeste e em vigor. Dados os muitos e recorrentes episódios de descargas poluentes no rio Tejo, não entende que se justifica a revisão dessas licenças?", questiona a deputada Patrícia Fonseca.
A deputada do CDS-PP eleita por Santarém questiona também, numa pergunta enviada ao ministro do Ambiente, porque é que a recolha de amostras foi realizada 24 horas após a denúncia e pede "medidas concretas e definitivas para acabar com este flagelo que está a destruir um dos rios mais importantes e essenciais ao país".
"O grupo parlamentar do CDS-PP tem vindo sistematicamente a questionar o Ministério do Ambiente sobre episódios de descargas poluentes, de norte a sul do país, mas infelizmente, na sua maioria, no rio Tejo, sendo também várias as iniciativas legislativas apresentadas e aprovadas pela Assembleia da República, muitas vezes unanimemente por todas as bancadas, para que sejam tomadas medidas rigorosas e assertivas contra este tipo de crime ambiental", sustentam na pergunta enviada ao Governo.
O CDS defende que "a resposta do Governo é sempre no sentido de minorar a gravidade da situação e alguma passividade na resolução cabal deste atentado", argumenta a deputada centrista.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1338
    14-02-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1338
    14-02-2018
    Capa Médio Tejo