Política | 12-05-2018 12:18

Pinturas a evocar Karl Marx geram controvérsia em Alpiarça

Pinturas a evocar Karl Marx geram controvérsia em Alpiarça
Pinturas têm gerado diferentes opiniões na vila

Oposição socialista diz que se trata de um crime de dano ao património do município

Inscrições pintadas no muro de suporte na praça do município, junto ao edifício da Câmara de Alpiarça e a uma paragem de autocarros na Estrada Nacional 118, principal artéria rodoviária da vila, estão a gerar controvérsia. A frase visa assinalar o segundo centenário do nascimento de Karl Marx, filósofo alemão ideólogo do marxismo que ainda hoje inspira os partidos comunistas.
Segundo o presidente do município, Mário Pereira (CDU), explicou em sessão camarária que as pinturas terão sido feitas pela Juventude Comunista Portuguesa (JCP) e o executivo camarário não teve conhecimento da intenção.
A situação foi criticada pela vereadora da oposição, Sónia Sanfona (PS), que considera que o município deve entender as pinturas como um “crime de dano”. “Aquilo que ali está não é liberdade de expressão e do meu ponto de vista abre um precedente extraordinário. Foi feito de uma forma afrontosa e o município deveria pensar em como proteger o seu património. Desta vez foi a JCP a fazê-lo mas depois podem ser outras pessoas a quererem pintar o património do município”, afirmou.
O presidente da Câmara de Alpiarça referiu não concordar com o que foi feito mas considera “um exagero” falar em sanções penais. “Há coisas bem piores do que aquelas que estão no muro. O que foi ali feito foram pinturas, que eu não faria, mas foram feitas por outra organização à qual sou alheio”, disse. Mário Pereira explicou que o município está a avaliar a situação mas não vão criminalizar a situação. “Avance a senhora vereadora com um processo-crime”, sugeriu o autarca.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo