Política | 27-05-2018 11:08

Governo quer empurrar para a câmara obras em passagem de nível de VFX

Governo quer empurrar para a câmara obras em passagem de nível de VFX
Nos últimos 12 anos morreram 25 pessoas nesta passagem de nivel em Vila Franca de Xira

Município de Vila Franca de Xira garante que não assumiu qualquer obrigação e descarta responsabilidades no que toca a acabar com a passagem de nível junto ao cais da cidade.

É mentira e é “abusivo” que o Governo diga que é a Câmara de Vila Franca de Xira e a Infraestruturas de Portugal (IP) que têm a responsabilidade de resolver o problema da passagem de nível perigosa existente junto ao cais da cidade, onde morreram 25 pessoas nos últimos 12 anos. A última das quais em Janeiro, Carlos Romano, um ex-autarca e morador da cidade.
A crítica foi deixada na passada semana pelo presidente do executivo camarário, Alberto Mesquita (PS), na sequência da resposta dada pelo Governo às questões colocadas pelos deputados do PCP sobre aquela passagem de nível.
“É absolutamente abusivo dizer que assumimos um compromisso de fazer ali obra. Nós não assumimos compromisso nenhum para aquela passagem de nível. O que a câmara deve fazer é chamar cá os técnicos da área para encontrar soluções. O único compromisso que existe é no âmbito do loteamento dos Jardins do Arroz, que sem uma passagem rodoviária superior ou inferior não poderá ser licenciado”, explicou o autarca.
Na última semana a Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares respondeu aos deputados dizendo que está em curso a articulação com a IP para serem tomadas acções que possam mitigar as situações de risco verificadas naquela passagem de nível e que essas mesmas acções serão para ser tomadas pela própria IP e pela câmara municipal ao abrigo do estudo de viabilidade existente para o local.
O assunto veio a lume depois de o vereador Nuno Libório (CDU) ter questionado Mesquita sobre a situação. “A câmara tem de esclarecer isto com o governo porque o que estão a fazer é a colocar na câmara a responsabilidade de resolver aquele problema”, notou.
A resposta do governo vem na sequência de uma série de perguntas colocadas pelos deputados do PCP sobre aquela passagem de nível. Recentemente também foi entregue na câmara um abaixo-assinado, subscrito por 1.200 moradores, em que se exige das entidades responsáveis que seja colocado um guarda no local, reforço e renovação do equipamento de segurança e a exigência ao governo e entidades responsáveis de um “estudo e implementação” de uma solução definitiva para o problema.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo