Política | 30-05-2018 22:28

Abrantes transforma Edifício Carneiro em Museu Charters de Almeida

Abrantes transforma Edifício Carneiro em Museu Charters de Almeida
Charters de Almeida e Maria do Céu Albuquerque - Foto CM Abrantes

O escultor Charters de Almeida doou ao município de Abrantes uma parte significativa da sua colecção, resultado de mais de meio século de actividade artística.

A empreitada de restauro, reabilitação, remodelação e ampliação do Edifício Carneiro, em Abrantes, onde será instalado o Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida (MAC), foi adjudicada.

As obras representativas das várias fases do percurso de mais de meio século da actividade artística do escultor Charters de Almeida ficarão expostas no interior e no exterior do edifício que já foi escola e hoje é espaço cultural, e onde, para além dos espaços expositivos interiores, para acolhimento de exposições de carácter permanente e temporário, será instalado um auditório polivalente.

A obra está integrada nas intervenções de regeneração urbana - recuperação de património municipal - mas também integra a "estratégia de oferta de produtos turísticos que atraiam mais pessoas para o território do concelho" de Abrantes, "diferenciando-se pela aposta na vertente cultural, lúdica e educativa".

"O museu de Charters de Almeida está inserido num projecto cultural mais vasto, no âmbito da estratégia que definimos para a regeneração urbana de Abrantes, estratégia que assenta em três pilares: a habitação, comércio e serviços e a fruição cultural", disse à agência Lusa a presidente da Câmara Municipal, Maria do Céu Albuquerque, aquando da aprovação do projecto de execução para a intervenção de restauro, reabilitação, remodelação e ampliação do Edifício Carneiro, para instalação do MAC, a 30 de maio de 2017.

"Na vertente cultural, este museu faz parte da nossa estratégia de instalar no centro histórico vários equipamentos culturais que se assumam como um grande museu para que, à escala regional e nacional, venham a integrar uma oferta de produtos turísticos que atraiam mais pessoas para o nosso território", destacou a autarca.

O MAC irá incluir peças da primeira fase do seu trabalho (até 1973), que se convencionou chamar "dos bronzes" pela predominância dessa matéria, um conjunto de trabalhos denominados "Relógios de sol", trabalhados em blocos de mármore polido, com várias componentes de metal, e ainda um conjunto de trabalhos (entre quadros com imagens e pinturas) com desenhos e projectos das "Cidades Imaginárias", que correspondem a intervenções no espaço público utilizando materiais como o aço, o mármore, o granito e o betão armado.

Também a zona exterior envolvente do logradouro do actual Edifício Carneiro vai ser tratada com a finalidade de ser a porta de entrada para a criação de um percurso de exposição ao ar livre até à entrada do Jardim do Castelo, confluindo com a intervenção prevista para o espaço do Castelo e área em redor.

O escultor Charters de Almeida doou ao município de Abrantes uma parte significativa da sua colecção, resultado de mais de meio século de actividade artística, e de que se destacam as obras em grande escala, conhecidas por "Cidades Imaginárias", que chegam a atingir os 40 metros de altura.

Nascido em Lisboa em 1935, Charters de Almeida tem obras em Portugal, Estados Unidos, Canadá e Itália, entre outros países.

Estudou escultura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde se formou. Várias vezes premiado em concursos públicos nacionais e internacionais, está representado em museus, fundações e colecções particulares em Portugal e noutros países da Europa e do mundo.

A empreitada foi adjudicada à empresa Tecnorém - Engenharia e Construções, S.A., pelo valor de cerca de2 milhões de euros, sendo o prazo previsto para a execução da obra de 720 dias.

A intervenção é financiada em cerca de 85% por fundos comunitários do Portugal 2020, resultado de uma candidatura aprovada no âmbito do PEDUA - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Abrantes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo