Política | 09-08-2018 07:07

Processo da MaisOurém é uma grande embrulhada

Sociedade não apresentava contas desde 2010 e foi alvo de dissolução e liquidação. CDU acusa partidos que governaram Câmara de Ourém nos últimos mandatos de serem responsáveis pelo fracasso.

A CDU de Ourém acusa os partidos políticos (PS, PSD e CDS) que participaram na governação da câmara municipal desde que foi criada a parceria público-privada (PPP) MaisOurém, que resultou num fracasso e numa despesa avultada para os cofres da autarquia, de serem os responsáveis pela situação.


Sérgio Ribeiro, o rosto mais conhecido da CDU de Ourém, afirmou, em conferência de imprensa, que desde o início a CDU alertou que o “negócio” da Câmara de Ourém com privados estava condenado ao “fracasso”. “Agora que se faz o balanço do fracasso deste negócio esquece-se a responsabilidade do fracasso”, lamentou, acrescentando que a CDU foi a única força política a votar contra a criação dessa empresa com capitais municipais e de privados.


O antigo deputado e eurodeputado considera que a origem do fracasso da MaisOurém – dedicada à área da construção e imobiliário - deve-se ao facto de ter sido concebido como um negócio, em que o município não teve nenhum tipo de salvaguarda. “Os terrenos municipais foram cedidos à empresa e não houve o devido pagamento por isso agora foram recuperados com prejuízo. Todo o processo é uma grande embrulhada”, sublinha. As críticas de Sérgio Ribeiro estendem-se ao anterior presidente do município, Paulo Fonseca (PS), que, na sua opinião, não soube conduzir o processo.

Notícia completa na edição em papel já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo