Política | 15-09-2018 09:33

Regeneração urbana em Abrantes com investimentos de 12 ME em curso

7,5 milhões de euros são a fundo perdido.

A Câmara Municipal de Abrantes tem em curso investimentos de 12 milhões de euros em regeneração urbana, sendo que metade do valor é destinado para espaços culturais, foi ontem anunciado.

"Estes projectos de regeneração urbana representam um investimento global na ordem dos 12 milhões de euros, dos quais 7,5 milhões de euros a fundo perdido, sendo que grande fatia do está alocado a investimentos estruturantes ao nível cultural na cidade, com a criação de equipamentos em imóveis que estavam degradados" no centro histórico, disse a presidente do município, Maria do Céu Albuquerque.

Estas obras estão integradas nas intervenções de regeneração urbana, mas também fazem parte da "estratégia de oferta de produtos turísticos que atraiam mais pessoas para o território” concelhio, declarou Maria do Céu Albuquerque, que destacou três três projetos na área cultural.

O antigo Convento de São Domingos está a ser recuperado, requalificado e ampliado e vai transformar-se em Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes. Tem um custo de 3,1 milhões de euros e deverá estar concluído no primeiro semestre de 2019.

São cerca de cinco mil as peças que integram as colecções da Fundação Estrada de ourivesaria ibérica, armaria e arte sacra dos séculos XVI a XVIII, além de colecções de numismática, arquitectura romana, medieval e moderna, relógios de várias épocas e uma exposição de arqueologia e história local, que vão fazer parte deste museu.

Por outro lado, com um investimento associado de 2,1 milhões de euros, o município de Abrantes vai proceder ao restauro, reabilitação e ampliação do Edifício Carneiro, tendo em vista a instalação do Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida.

As obras representativas das várias fases do percurso de mais de meio século da actividade artística do escultor Charters de Almeida ficarão expostas no interior e no exterior do edifício.

Ainda no plano cultural, destaque para a reabilitação e requalificação da actual Galeria Municipal de Arte, um investimento de 1,2 milhões de euros que vai permitir a instalação do pólo 2 do Museu de Arte Contemporânea.

Para a presidente da câmara de Abrantes, estes trabalhos permitirão ao município “uma afirmação cultural muito forte no contexto nacional e internacional, tornando público o acesso a uma colecção de valor inestimável e de foro privada, além da criação de um grande centro cultural que complementará as várias funções do centro histórico, como as residenciais, administrativas e comerciais".

A câmara deu ainda a conhecer outras obras, sendo que no plano educativo é de realçar o novo centro escolar no antigo Colégio de Fátima e escola de Mouriscas.

Já nos serviços, referência para a instalação da Loja do Cidadão e a requalificação do Vale da Fontinha em zona de mercado e feiras com criação de bolsa de estacionamento para 312 viaturas.

Outros investimentos passam pelo abastecimento de água, requalificação do largo 1 de Maio, a nova Unidade de Saúde Familiar em Rossio ao Sul do Tejo ou os trabalhos do açude insuflável no Tejo.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo