Política | 02-05-2019 15:00

Contas da Câmara de Abrantes aprovadas pela maioria socialista

Loja do Cidadão e Centro Escolar de Abrantes estão entre os maiores investimentos realizados em 2018 pelo município.

A Loja do Cidadão, o Centro Escolar de Abrantes, a Unidade de Saúde Familiar do Rossio ao Sul do Tejo, o Museu Ibérico de Arqueologia de Abrantes e a obra no Vale da Fontinha foram os projectos com maior peso financeiro no Plano Plurianual de Investimentos em 2018 para o município de Abrantes.

Os documentos de prestação de contas da Câmara de Abrantes relativas a 2018 foram apresentados e aprovados pela maioria socialista no executivo municipal, com a abstenção dos vereadores do BE e PSD. O presidente do município, Manuel Valamatos (PS), referiu que o relatório de contas aproxima-se daquilo que tem sido a prestação dos últimos anos, reforçando que a autarquia terminou o ano de 2018 com um saldo positivo do exercício de 1.439.014 euros.

A autarquia está a pagar a fornecedores num prazo médio de cinco dias, menos quatro dias do que em 2017. A taxa de execução global da receita situou-se nos 103%, enquanto o montante total da despesa foi 77%, mais alta que na gestão de 2017, relacionada com as despesas correntes onde a execução rondou os 88%. Do lado da despesa, saíram 6.359.595 euros para uma execução de 77% do Plano de Actividades Municipal e no Plano Plurianual de Investimentos foram executados 7.406.458 euros.

A Câmara de Abrantes atribuiu um total de 1.707.847 euros de verbas às freguesias, através de protocolos, contratos interadministrativos ou por administração directa, num crescimento de mais de 10%. Manuel Valamatos aproveitou a ocasião para criticar quem diz que o município não investe nas freguesias.

O vereador do PSD justificou a sua abstenção com o facto de entender que a execução orçamental reflecte as políticas aplicadas pelo PS no concelho que, em muitos aspectos, são diferentes das políticas defendidas pelo PSD. Também o vereador do BE, Armindo Silveira, considera que os documentos são resultado da execução das políticas aprovadas pela maioria socialista.

SMA facturaram três milhões em venda de água
Em relação ao relatório e contas dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA), registou-se um total de receita arrecadada de 5.056.832 euros numa taxa de execução de 74% e um total de despesa paga no valor de 6.265.646 euros com uma taxa de execução também de 74%. O total dos custos foi superior ao total dos proveitos. Os SMA facturaram três milhões de euros em venda de água mas o resultado líquido de exercício revela um défice de 243.183,00 euros.

Manuel Valamatos justifica estes valores com o aumentos dos custos com a tarifa da Valnor no tratamento de resíduos sólidos urbanos, que tiveram de pagar mais de 90 mil euros. Além disso, também houve um aumento com custos com pessoal (onde se incluem novas contratações, regularização dos trabalhadores precários, descongelamento de carreiras e despesas de saúde), tarifa de resíduos hídricos e taxa de gestão de resíduos (38.400 euros), e ainda conservação de infra-estruturas e combustíveis.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1404
    23-05-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1404
    23-05-2019
    Capa Médio Tejo