Saúde | 09-12-2004 16:18

Abuso do computador portátil pode diminuir fertilidade masculina

Os homens jovens que passam longos períodos com um computador portátil em cima dos joelhos arriscam-se a perder fertilidade, advertem especialistas norte-americanos.Após um estudo feito com 29 voluntários sãos, com idades entre 21 e 35 anos, os peritos aconselham os adolescentes e adultos jovens a limitar o tempo que passam com a consola sobre os joelhos, evitando assim pôr em risco a sua fertilidade a longo prazo.Segundo esta equipa de investigadores, chefiada pelo professor Yefim Sheynkin, especialista em urologia e infertilidade masculina na Universidade de Nova Iorque em Stony Brook, o aumento da temperatura das bolsas escrotais pode alterar o esperma."Até 2005, 60 milhões de computadores portáteis estarão a funcionar nos Estados Unidos e 150 milhões no mundo", observou Sheynkin. Os preços cada vez mais baixos destes aparelhos explicariam a sua crescente popularidade entre os jovens.Os investigadores fizeram uma série de medições das temperaturas das bolsas dos voluntários quando estes, com as pernas unidas, utilizavam o computador sobre os joelhos, encostado à barriga.Este modo de utilização aumenta a temperatura do escroto 2,6 graus Celsius à esquerda e 2,8 graus à direita, em média, segundo o estudo. Foram feitas medições de três em três minutos durante cada hora de utilização.Estudos realizados associaram um aumento de 1 a 2,9 graus na temperatura dos testículos e do escroto a efeitos negativos sobre a espermatogénese (formação do esperma) e a fertilidade.A concentração do esperma pode baixar 40 por cento por cada grau suplementar em relação à temperatura média diurna do escroto, observaram os investigadores.As posições adoptadas pelo utilizador e a temperatura interna do aparelho fazem aumentar conjuntamente a temperatura.A equipa de Sheynkin planeia agora estudar directamente estes efeitos sobre a função testicular e o esperma. Para já, os especialistas ignoram qual a duração de utilização que não comporta riscos. Segundo eles, basta um quarto de hora para que a temperatura do escroto aumente um grau.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo