Saúde | 22-03-2005 17:41

Hospital de Santarém com resultados positivos mas mantêm-se dificuldades

O presidente do Conselho de Administração do Hospital Distrital de Santarém SA apresentou hoje os resultados de 2004, pela primeira vez positivos, mas admitiu a dificuldade em evitar que médicos de algumas especialidades optem pelos hospitais centrais.Edgar Gouveia disse, em conferência de imprensa, que em dois anos de gestão da administração a que preside foi possível passar de um passivo de 4,4 milhões de euros para um resultado positivo de perto de 700 mil euros.Ao mesmo tempo, melhoraram as taxas de atendimento e foram feitos investimentos da ordem dos dois milhões de euros.Edgar Gouveia, cuja administração cessou funções em Dezembro último esperando pela próxima Assembleia-Geral para saber se tem mandato renovado, justificou os resultados alcançados com a adopção de medidas que passaram pela "eliminação do desperdício" e por um novo tipo de estrutura organizativa, que aposta nas novas tecnologias e na atribuição de incentivos e de prémios ao mérito.O facto de ser um hospital SA, com uma gestão de tipo empresarial, permitiu ultrapassar o problema do quadro de pessoal e recorrer aos contratos individuais de trabalho para atrair clínicos, uma possibilidade também existente em hospitais de Lisboa que acabam por captar profissionais altamente qualificados que funcionavam em Santarém.Segundo disse, o Hospital de Santarém tem conseguido manter a média de 1.300 efectivos e captado novos médicos, mas a perda de alguns clínicos especializados (nomeadamente cirurgiões plásticos, vasculares, de obstetrícia e, em iminência, de anestesistas) vem pôr em causa a actividade cirúrgica, que cresceu perto de 50 por cento nos dois últimos anos.Nos objectivos para 2005, a administração não prevê o crescimento desta actividade.Para o director clínico do Hospital de Santarém, Pinto Correia, faria todo o sentido transformar esta unidade em Hospital Central já que dispõe de todas as especialidades, à excepção da neurocirurgia.Segundo Edgar Gouveia, em 2004, foram realizadas perto de 12 mil cirurgias no Hospital de Santarém, feitas mais de 125 consultas externas, cerca de 100 mil atendimentos nas urgências e mais de 15 mil sessões de hospital de dia, tendo sido assistidos mais nove por cento dos doentes que os contemplados no contrato com o Serviço Nacional de Saúde.No início de Março existiam 4.928 utentes em lista de espera, sendo o tempo médio de espera de nove meses, com as maiores demoras a acontecerem em especialidades como urologia, ortopedia, cirurgia vascular e oftalmologia, afirmou.O conselho de administração do Hospital de Santarém programou para 2005 investimentos da ordem dos 5,5 milhões de euros, nomeadamente para alargamento da Urgência Geral, dimensionada há 20 anos para 80 doentes/dia e a atender actualmente entre 300 a 400.Edgar Gouveia espera ainda avançar com o projecto para a construção de um edifício para a consulta externa, hospital de dia e ambulatório, bem como com o de climatização geral e o de alargamento do bloco de partos, que regista anualmente cerca de 1.800 partos.Entre os projectos para este ano conta-se ainda a criação de um infantário para os filhos dos trabalhadores, a melhoria dos procedimentos internos e a criação de condições para a acreditação do Hospital.O início do projecto que irá avaliar e melhorar a qualidade assistencial clínica, a redução do tempo de espera das consultas externas e das cirurgias, a racionalização dos custos e a "efectiva articulação" com a rede de cuidados primários são outros objectivos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo