Saúde | 07-02-2008 08:26

Centro Hospitalar do Médio Tejo com défice de quase 20 milhões em 2007

O défice do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) atingiu em 2007 um valor provisório de 19,7 milhões de euros, superior em quase seis milhões de euros ao registado em 2006. O presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo diz que os valores são insustentáveis e que o plano estratégico de recuperação financeira acordado o ano passado entre a ARS, a administração do centro hospitalar e a Direcção Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo tem de ser implementado no decorrer deste ano. “Se nada se fizer o centro hospitalar vai à falência em dois ou três anos”, adverte António Gomes Branco.O plano de recuperação do CHMT – que agrega os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas - começou a ser implementado no ano passado mas as dificuldades em gerir o dossier levaram à demissão em bloco da anterior administração que, por uma questão de “sentimentalismo geográfico”, não foi capaz de levar o plano em prática. Um plano que prevê a centralização e/ou deslocalização de áreas operacionais da saúde (valências médicas) e serviços de retaguarda (nomeadamente a centralização dos laboratórios de patologia clínica). Mais desenvolvimentos na edição semanal que sai esta quinta-feira.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo