Saúde | 16-05-2009 14:03

Técnicos de saúde serão colocados nas extensões da Lezíria para libertar médicos

A directora executiva do agrupamento de centros de saúde da Lezíria do Tejo, Luísa Portugal, pretende colocar técnicos de saúde, como fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, além de enfermeiros, nas extensões de saúde. No âmbito de uma reorganização dos serviços que está a ser preparada, e perante a falta de médicos, a medida visa evitar o encerramento destas unidades e permitir uma assistência mínima às populações das zonas rurais. O que se pretende também, diz Luísa Portugal, é que os médicos de família se concentrem apenas nos actos exclusivamente clínicos, libertando-os de tarefas que lhes ocupam tempo e que podem ser feitas por enfermeiros ou dietistas, por exemplo. “Há uma grande dispersão de locais de atendimento, com extensões que servem 600 ou 800 pessoas e nestes casos as consultas médicas podem ser concentradas noutras unidades mais próximas”, explica. Com isto poupa-se tempo com as deslocações dos clínicos e optimizam-se os serviços. A directora do agrupamento, sedeado no Centro de Saúde de Almeirim e que abrange além deste os centros de Chamusca, Alpiarça, Coruche, Salvaterra de Magos e Benavente, pretende também reorganizar a assistência nos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) e Atendimento Complementar (AC), destinado às pessoas que não têm médico de família ou que precisam de um atendimento mais urgente. A proposta passa por retirar os horários dos médicos de família nestes serviços e concentrá-los nas consultas aos utentes dos seus ficheiros e contratar clínicos a empresas para assegurarem os SAP e AC.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo