Saúde | 20-12-2010 07:22

Não há soluções para abrir Serviço de Urgência Básico Coruche

O Serviço de Urgência Básico (SUB) de Coruche vai ter de esperar pela contratação de médicos do serviço público para abrir portas. Segundo a ministra Ana Jorge disse a O MIRANTE, não é intenção do ministério contratar médicos através de empresas. “Não é boa organização do sistema nem é bom para os utentes. Não há cadeia hierárquica porque são assalariados de empresas, nem continuação das equipas. Estamos a tentar encontrar uma solução, em conjunto com a Administração Regional de Saúde e o Agrupamento dos Centros de Saúde da Lezíria para poder abrir o serviço em condições para a população”, referiu a ministra à margem da visita que efectuou no dia 16 de Dezembro ao Hospital Distrital de Santarém.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo