Saúde | 22-12-2011

População de Montalvo luta pela manutenção da extensão de saúde

Por serviços de enfermagem, contra o encerramento da extensão de saúde. Foi sob este mote que centenas de pessoas concentraram-se em vigília na Casa do Povo de Montalvo, no concelho de Constância, ao final de terça-feira, 20 de Dezembro, com o objectivo de reclamar a manutenção do posto de saúde e protestar pela falta de médicos.A extensão de saúde, com cerca de 1.300 utentes e sem médico de família há dois anos, de Montalvo disponibiliza atendimento médico duas tardes por semana. Nos restantes dias os serviços médicos só podem ser obtidos no Centro de Saúde de Abrantes, a 10 quilómetros de distância, uma situação que não agrada à população. Uma situação insustentável para o presidente da Junta de Freguesia, Jorge Pereira, que ouve os lamentos da população. “Antes tínhamos médico todos os dias mas com ofalecimento Dr. Luis Soares ficámos apenas com médico 4 horas por semana. Há medicamentos que têm que ser tomados diariamente e as pessoas, sem transporte, não os conseguem obter”, explicou a O MIRANTE. Júlia Amorim, uma das vozes mais críticas ouvidas nesta vigília. “Não é favor ter médico, cuidados de enfermagem ou obter a receita para aviar a tempos e horas. É um direito consagrado. Ninguém está doente porque quer”, disse. Notícia desenvolvida na edição semanal

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo