Saúde | 19-12-2013 12:58

População de Ourém vai continuar a ser atendida no Centro Hospitalar do Médio Tejo

Os habitantes do concelho de Ourém vão ter que continuar a dirigir-se aos Hospitais do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) sempre que necessitarem de cuidados de saúde, contrariando a pretensão do presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca (PS). O autarca referiu, na última reunião de câmara, que recebeu uma informação, datada de 10 de Dezembro, do Secretário de Estado da Saúde, Fernando Leal da Costa, no sentido de que "não é possível a deslocação dos serviços de saúde do concelho de Ourém para o Centro Hospitalar de Leiria", acrescentando o responsável que este é um assunto "de solução difícil". Paulo Fonseca recorda que, no dia 7 de Dezembro, aquando da inauguração da Unidade de Cuidados Continuados Integrados Bento XVI, em Fátima, aproveitou a presença Ministro da Saúde, para, publicamente, relembrar a carência existente no concelho de Ourém em matéria de respostas de saúde, referindo-se, sobretudo, ao facto de os utentes de Ourém terem que se deslocar para o Hospital de Abrantes para receberem cuidados de saúde quando existe o Hospital de Leiria muito mais perto. Paulo Fonseca reuniu com o ministro no final da cerimónia, a quem explicou todo o processo mas os seus anseios não foram correspondidos, como atesta a resposta recebida três dias mais tarde. "Vou continuar a lutar pela transferência dos utentes do concelho de Ourém para o Centro Hospitalar de Leiria. Não aceito que continuemos a ser mal servidos por um Centro Hospitalar do Médio Tejo, centralizado em Abrantes, com o Centro de Saúde de Ourém a encerrar às 20h, com extensões de saúde encerradas nas freguesias, num sofrimento desnecessário para os habitantes do concelho de Ourém", refere.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo