Saúde | 15-12-2017 16:40

Familiares de deficientes também precisam de apoio

Familiares de deficientes também precisam de apoio
Carla Covaneiro e Luzia Souto

Mães de portadores de deficiência contaram em Santarén as dificuldades e lutas que enfrentam diariamente para dar uma vida digna aos seus filhos.

Luzia Souto é mãe de Natacha, de 42 anos, portadora de multideficiência (motora, visual e auditiva). Há 13 anos a sua filha, que ainda conseguia ver, começou com derrames numa vista e ao fim de cinco anos de luta perdeu a visão. “Foi um momento muito difícil, muito doloroso, porque a minha filha é surda profunda e eu deixei de conseguir comunicar com ela. Não conseguia perceber o que ela queria”, contou Luzia Souto durante o painel “Porque quem cuida deve ser cuidado”, no âmbito da iniciativa “Diálogos Inclusivos na Deficiência”, organizado pela Rede Social do Centro Distrital de Segurança Social, que decorreu no dia 7 de Dezembro, no Centro Nacional de Exposições, em Santarém.


Luzia Souto foi uma das mãe cuidadoras que partilhou as dificuldades de quem tem que deixar de trabalhar e dedicar a sua vida a um filho totalmente dependente. No momento mais difícil da sua vida encontrou apoio na Casa Pia, que a ensinou a comunicar novamente com a filha. Nessa altura, foi a própria mãe quem precisou de apoio e encontrou-o na instituição. “Os cuidadores familiares também precisam de muito apoio, porque somos muito sobrecarregados, e nem sempre se encontra esse apoio. Senti-me sozinha muitas vezes e sem forças para continuar mas depois olho para a minha filha e vejo o quanto ela precisa de mim e vou à luta”, afirmou.

Reportagem completa para ler na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo