Saúde | 09-01-2018 18:04

Hospital de Santarém continua sem sistema informático

Hospital de Santarém continua sem sistema informático
Foto - O MIRANTE

Colapso do sistema ocorreu a meio da tarde de quinta-feira da semana passada.

A avaria do sistema informático do Hospital Distrital de Santarém, ocorrida no dia 4 de Janeiro, Quinta-feira, a meio da tarde, continua a impedir o acesso à base de dados clínicos e administrativos, o que faz com que o trabalho esteja, desde essa altura a ser feito à moda antiga, com registos de entradas e altas, requisições de exames médicos e emissão de receitas médicas, por exemplo, a serem feitas manualmente, em papel.

Esta manha foi comunicado aos trabalhadores que a avaria seria reparada “nas próximas horas” e o presidente do conselho da administração disse à Lusa que a expectativa era que tudo estivesse resolvido até meio da semana. O MIRANTE, que foi o primeiro órgão de comunicação social a noticiar o problema, logo na manhã de sexta-feira, falou com José Josué nessa altura e havia a esperança que o problema ficasse resolvido até ao final desse dia.

Como os médicos passaram a ter de passar receitas à mão com a colocação de vinhetas com a sua identificação, coisa que raramente fazem, houve alguns a quem aconteceu ficarem momentaneamente sem possibilidade de o fazerem. A consulta de resultados de análises e de outros exames que habitualmente são recebidos por via informática nos serviços que os requisitam, nomeadamente nas urgências, passou estar dependente de alguém ir aos serviços buscá-los.

O MIRANTE falou com alguns médicos e enfermeiros ao longo dos últimos dias, tendo os mesmos realçando o facto de o prolongamento da anomalia estar a tornar o atendimento mais lento e a exigir um maior esforço de todos.

Devido à falha informática o hospital de Santarém deixou de disponibilizar no site do Serviço Nacional de Saúde, os tempos médios de espera das urgências, bem como o número de pessoas à espera de serem atendidas.

O Hospital Distrital de Santarém é uma unidade de saúde da maior importância para a região, uma vez que serve os concelhos de Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém, num total de cerca de mais de cento e noventa mil habitantes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo