Saúde | 22-07-2018 13:32

Centro de Saúde da Póvoa de Santa Iria perde atendimento complementar

Centro de Saúde da Póvoa de Santa Iria perde atendimento complementar

Alverca passa a concentrar o atendimento complementar.

A partir do primeiro dia de Agosto o Centro de Saúde da Póvoa de Santa Iria deixa de ter Serviço de Atendimento Complementar (SAC), que funcionava durante a semana das 20h00 às 22h00, divulgou a O MIRANTE, a directora executiva do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Estuário do Tejo, Maria do Céu Canhão.
Os utentes da Póvoa de Santa Iria que necessitem de cuidados de saúde primários motivados por doença aguda ou agravamento de doença crónica passam agora a ter de se deslocar ao SAC do Centro de Saúde de Alverca. Este serviço, actualmente assegurado por dois clínicos, vai ser reforçado em Agosto com a integração de mais um elemento.
Segundo Maria do Céu Canhão, o atendimento complementar na Póvoa estava a ser utilizado, na maioria, por utentes da Unidade de Saúde Familiar (USF) Reynaldo dos Santos com médico de família atribuído. “Tendo em conta que o que se pretende é concentrar os recursos para uma resposta mais eficaz à população do concelho [Vila Franca de Xira] consideramos que estão criadas as condições para a Póvoa de Santa Iria deixar de ter esta resposta, pois se temos lá uma unidade [USF Reynaldo dos Santos] com médicos de família disponíveis estamos a desperdiçar consultas, que vão parar a um serviço que não está direccionado para essas questões”, explica a directora do ACES Estuário do Tejo.
O ACES Estuário do Tejo, que abrange Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Benavente e Vila Franca de Xira, preconiza que deve existir apenas um serviço de atendimento complementar por concelho. Vila Franca de Xira contava até agora com dois serviços a funcionar em simultâneo, em Alverca e na Póvoa de Santa Iria, mas com a criação da USF Reynaldo dos Santos, em Março de 2017, o serviço deixou de se justificar. Segundo informação do ACES, a nova unidade de saúde veio atribuir médico de família a mais 14.100 utentes.
Actualmente há 2500 utentes residentes na Póvoa de Santa Iria sem médico de família. Já os cinco concelhos abrangidos pelo ACES Estuário do Tejo contabilizam mais de 40 mil utentes sem médico de família. Um panorama negro que este agrupamento pretende colmatar até ao final do ano, com a contratação de mais 20 médicos, adianta Armando Braz, presidente do Conselho Clínico e de Saúde. Se conseguirem preencher as duas dezenas de vagas, aproximadamente 38 mil utentes ficariam com médico de família atribuído.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo