Saúde | 25-08-2018 08:08

Utentes do Vale do Tejo fumam e bebem menos que o resto do país

“Perfil regional de saúde” foi divulgado esta semana pelas entidades de saúde.

Os habitantes da região fumam, bebem e pesam menos que os habitantes do resto do país mas em contrapartida a região tem taxas de infecção de sida e tuberculose superiores à média nacional. As conclusões são do “Perfil Regional de Saúde” de 2017 divulgado na última semana pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que inclui os agrupamentos de centros de saúde da Lezíria (Salvaterra de Magos e Cartaxo) e o agrupamento do Estuário do Tejo, que inclui os centros de saúde de Vila Franca de Xira, Azambuja, Arruda dos Vinhos e Alenquer.

De acordo com o documento as doenças transmissíveis estão a diminuir, sobretudo a sida e tuberculose, mas os números continuam acima da média nacional. Os casos de sida identificados são de 4,2 por cento (%) contra 2,6% a nível nacional. Já na tuberculose há registo de 20,6% de incidência de casos, contra os 17,7 por cento a nível nacional.

Mas os dados agora apresentados pela ARSLVT também mostram números mais animadores: 9,2% das pessoas inscritas nos centros de saúde da região fumam regularmente, um valor inferior à média nacional, que se localiza nos 10,4 por cento. Quem mais fuma são os homens. Cerca de 1 por cento dos utentes dos centros de saúde também é alcoólico, um valor abaixo da média nacional, que se cifra nos 1,4 por cento. Também aqui são os homens quem mais bebe. Os dados mostram ainda que 6,2 por cento da população destas áreas residenciais tem excesso de peso e 21 por cento é hipertensa. A ARSLVT destaca também a prevalência de perturbações depressivas, diabetes e doenças do foro mental. As mulheres são as que apresentam maiores perturbações depressivas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo