Saúde | 02-11-2018 18:06

Faltam dez médicos de família no Médio Tejo

Falta de assistentes operacionais também começa a ser preocupante.

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo precisa de dez médicos para cobertura total aos 227.000 utentes inscritos nas 96 unidades que tem em funcionamento, afirma a Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUSMT).

A informação foi dada aos representantes da CUSMT numa reunião realizada em Outubro com a coordenadora do ACES Médio Tejo, na qual foi transmitido que os concelhos da região com mais utentes sem médico de família são os de Abrantes (4.200), Sardoal (3.000), Tomar (4.800) e Ourém (5.000), todos do distrito de Santarém, sendo que estão colocados 126 médicos (mais 33 a fazer o internato) e que continua a ser necessário “recorrer a contratações individuais e a horas de serviços médicos”.

“No recente concurso nacional foram preenchidas as oito vagas atribuídas, tendo-se verificado que houve um número superior de candidatos a ficar no ACES Médio Tejo”, afirma a nota, salientando, contudo, que a falta de assistentes operacionais “começa a ser preocupante”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo