uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Vencer e convencer em jogo espectáculo

Vencer e convencer em jogo espectáculo

Campeonato Nacional da Terceira Divisão – Série D - Abrantes já vai na quinta vitória consecutiva e descola dos adversários

O Abrantes e o Benfica de Castelo Branco proporcionaram um excelente espectáculo de futebol, aos muitos espectadores que se deslocaram ao Estádio Municipal de Abrantes. As duas equipas jogaram bom futebol, os jogadores bateram-se excepcionalmente bem, e o Abrantes venceu e isolou-se ainda mais no primeiro lugar.

Edição de 07.01.2004 | Desporto
O treinador do Abrantes, José Vasques dificilmente poderia estar mais satisfeito. O Abrantes leva cinco jogos seguidos a vencer, nos quais conseguiu somar quinze pontos, isolando-se ainda mais no comando da tabela classificativa. O sucesso contra o Benfica de Castelo Branco significou uma entrada com o pé direito em 2004, perante uma equipa que esta temporada ainda não tinha conhecido o sabor amargo da derrota.O facto é que cedo se viu que ambas as equipas estavam ali para vencer. O Benfica de Castelo Branco, muito bem organizado, tentou controlar o jogo a meio campo e partir em jogadas apoiadas para a baliza, mas rapidamente o Abrantes se organizou e passou a dominar o jogo. Partindo sempre de uma forma correcta para o ataque, e logo aos cinco minutos podia ter-se colocado na frente do marcador, Milton lançado em profundidade por Telmo, isolou-se e só frente a Soares atirou ao lado.A luta a meio campo foi muito forte. Coeso, o grupo de centro campistas albicastrenses dificultava a vida aos abrantinos, mas a técnica superior de Telmo e Mário Jorge, bem contrabalançada pelo elevado espírito de luta de Pombo, foi-se impondo e tornaram bem mais eficaz o jogo da equipa de José Vasques, que foi empurrando o seu adversário para o seu meio campo.Quando aos trinta e três minutos a equipa do Abrantes chegou ao primeiro golo, já o domínio lhe pertencia quase por completo, embora os albicastrenses continuassem a mostrar o porquê de ainda não terem sofrido qualquer derrota. O primeiro golo aconteceu após a marcação de um canto da direita, registou-se uma grande embrulhada na área e ao segundo poste apareceu Edgar a empurrar a bola para o fundo da baliza.Em desvantagem, Quim Manuel abriu mais um pouco o jogo da sua equipa, fazendo subir no terreno o médio Bruno Matos e o jogo tornou-se mais repartido. Todavia, o Benfica de Castelo Branco, apesar de tentar atacar mais, não o fez de forma clarividente por ser arrastado para um futebol algo mastigado, que só serviu os interesses do Abrantes. E a primeira parte terminou com a equipa da casa justamente na frente do marcador.A segunda parte começou praticamente com o segundo golo do Abrantes. Logo aos quarenta e sete minutos numa bonita jogada de envolvimento, com a bola a passar pelos pés de Mário Jorge, Leandrão e Telmo. Este último, com um ângulo apertado, deu para trás para Sérgio Morujo que rematou de primeira e a bola entrou junto ao ângulo esquerdo da baliza defendida por Soares.Com uma vantagem mais segura, o Abrantes passou a trocar mais a bola a meio campo e a jogar numa toada de maior controlo de jogo. Os albicastrenses continuaram a lutar com grande apego, e Quim Manuel apostou mais no ataque com a entrada de Gonçalo e Parmalat, mas as suas investidas esbarraram sempre na eficaz defesa abrantina.Contudo, foi o Abrantes que continuou a criar oportunidades de golo. Uma delas, flagrante, aconteceu aos oitenta e dois minutos, quando Carlos Ferreira, que tinha entrado para o lugar de Milton, se isolou em jogada rápida de contra ataque e só frente a Soares atirou contra o corpo do guarda-redes benfiquista.A vitória do Abrantes ajusta-se perfeitamente ao desenrolar do jogo, onde as duas equipas foram dignas uma da outra, e mostraram com excelente futebol, porque estavam nos dois primeiros lugares da tabela classificativa, e brindaram o público com um jogo digno de uma divisão superior.Numa partida onde o árbitro Gomes Araújo, muito experiente, esteve bem, impondo-se sem grande dificuldade, apenas se pode apontar o dedo ao seu assistente Fernando Oliveira, que numa atitude exagerada o chamou, para expulsar José Vasques do banco por este ter mandado uma boca para os assistentes que o pressionavam.Milton chegoue jogouMilton era um jogador feliz no final da partida. Há cerca de um mês saiu do municipal de Abrantes sob uma forte vaia. Jogava então no Rio Maior, para onde tinha saído no início da época, deixando a equipa abrantina. Agora regressou e jogou logo no primeiro jogo que se seguiu à sua contratação. Foi chegar ver e vencer. “Estou extremamente satisfeito com a vitória, por ter jogado e por ter regressado ao Abrantes, equipa onde tenho conhecido bons momentos”, disse Milton.Quanto aos assobios que ouviu aquando da passagem do Rio Maior por Abrantes, Milton apenas referiu que isso era natural no futebol. “Agora quero é lutar para ajudar a equipa do Abrantes, que é excelente, e onde me integrei com muita facilidade, porque já conhecia bem a grande maioria dos meus companheiros de equipa”.O jogador não quis fazer grandes comentários sobre a sua saída do Rio Maior, apenas fez questão de salientar que as coisas não estavam a correr bem e por isso foi preferível a sua saída. “Não culpo ninguém pela minha saída, só eu fui culpado, por não ter conseguido atingir aquilo que as pessoas esperavam de mim”, referiu. Um excelente jogo de futebol“São jogos destes que trazem público aos estádios”, referiram os treinadores das duas equipas. O técnico do Benfica de Castelo Branco, Quim Manuel, referiu que esta foi a primeira derrota da sua equipa no campeonato, mas não deixou marcas, porque “foi sofrida perante uma grande equipa”.“Não tivemos aproveitamento nos lances de bola parada e falhámos duas vezes. Falhanços que foram muito bem aproveitados pelo nosso adversário. Vamos continuar a lutar e creio que vamos chegar ao fim num lugar que não desiludirá os nossos adeptos, ainda faltam muitos jogos e no fim quem for mais regular é que ficará em primeiro”, referiu Quim Manuel.Por sua vez, o treinador do Abrantes, José Vasques, que foi expulso do banco, delegou as declarações no seu adjunto Dionísio Ramos, que garantiu que nesta altura a luta ainda é por conseguir a manutenção. “Só faltam cinco pontos para isso e então depois vamos ao resto, que é pensar na subida”, disse.Dionísio Ramos fez questão de sublinhar que o grupo de trabalho “dedicou esta vitória ao chefe do departamento de futebol, Nuno Pedro, que esta semana teve um grande infortúnio com a morte de um familiar”. Registou ainda que o Abrantes conseguiu uma vitória sobre uma grande equipa. “Uma das principais candidatas à subida”, concluiu.
Vencer e convencer em jogo espectáculo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...