uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Canal entupido

Falta de limpeza do túnel foi uma das causas das inundações em Alverca

A obstrução do canal do rio Crós Crós com toneladas de lixo foi a causa principal das inundações em Alverca. Uma caixa de visita junto à EN 10 estava tapada pelo asfalto.

Edição de 07.01.2004 | Sociedade
O entupimento do túnel por onde passam as águas do Rio Crós Crós foi uma das causas principais das inundações do dia 9 de Novembro em Alverca. A conclusão foi avançada pela presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, depois de um conjunto de intervenções dos Serviços Municipais de Águas e Saneamento (Smas) e do Instituto Nacional da Água (Inag). Segundo a edil, uma caixa de visita perto do Lar de Idosos da Casa de São Pedro (junto da EN10) estava coberta pelo asfalto e só foi descoberta durante os trabalhos de desobstrução do túnel. Na operação, os trabalhadores encontraram troncos de árvores com mais de três metros de comprimento, ramos, folhas e outros resíduos que estavam compactados impedindo a passagem da água. As toneladas de lixo retiradas foram suficientes para encher um camião.Os técnicos do Instituto Nacional da Água ( Inag) reportaram ainda a existência de cabos eléctricos que atravessavam o canal no interior de tubos e também constituíam uma barreira à normal circulação da água.A presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, Maria da Luz Rosinha afirmou que os tubos já devem ter mais de 20 anos no local, mas os autarcas desconheciam a sua passagem no local. “Os tubos criaram um tampão perfeitamente consolidado que obstruiu a passagem da água”. A autarca referiu que os serviços detectaram mais de duas dezenas de situações graves de obstrução do rio Crós Crós. Alguns constrangimentos foram criados pelas empresas Portugal Telecom e EDP. A câmara alertou os responsáveis pelas redes de telefones fixos e energia eléctrica, que desviaram os cabos para o exterior do canal.A edil recordou que nos últimos anos várias entidades públicas fizeram obras sem licenciamento. Agora a câmara vai definir um conjunto de regras para controlar as intervenções no sub solo e Maria da Luz Rosinha admitiu vir a embargar as obras onde elas não forem cumpridas.O vereador do PSD, Rui Rei, responsabilizou a câmara pela situação verificada em Alverca, que “é apenas um exemplo”. O autarca afirmou que os serviços municipais devem controlar todas as intervenções feitas no subsolo. “Considero estranho que estas situações que já duravam há 20 anos nunca tenham sido detectadas pela câmara. Há uma linha de água emparedada e ninguém sabe de nada”, disse.Rui Rei considerou que a situação reflecte “a falta de uma cultura de segurança”. “É no Verão que se deve fazer a vistoria para evitar as situações que infelizmente aconteceram”, concluiu.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...